terça-feira, 30 de setembro de 2008

PORTO HUMILHADO EM LONDRES




ANDRÉ MATOS LEITE


O Arsenal venceu o Porto por 4-0 em jogo a contar para a Liga dos Campeões. Os azuis e brancos foram forçados a defender grande parte do encontro e só a má pontaria dos londrinos impediu que o resultado fosse mais dilatado.

Durante a primeira parte, apesar do resultado final, o clube do “dragão” até podia ter inaugurado o marcador. Embora a equipa da casa tenha jogado sempre ao ataque, os pupilos de Jesualdo Ferreira exploravam bem o contra-ataque e, logo ao minuto 13, Rodríguez cabeceou a bola à barra. Mas o Arsenal continuava o assalto à baliza de Helton e, aos 31 minutos, Adebayor assistiu Van Persie que fez o 1-0. Com o Porto a tentar reagir Adebayor fez o segundo, aos 40 minutos.

Com a etapa complementar da partida, Lucho González tomou o palco e esperava-se a recuperação dos “dragões”. Contudo, no começo do segundo acto, Walcott encontrou Van Persie que marcou o terceiro tento da noite. O pouco que os azuis e brancos tinham conseguido fazer na primeira parte desapareceu e o Arsenal estendeu ainda mais o seu domínio. Aos 70 minutos, Bendtner sofre falta dentro da grande área. Penálti com Adebayor a converter. Estava feito o 4-0. A equipa caseira começou a recuar e a pressionar menos, o Porto tentou pegar no final da partida, mas o resultado dilatado já não deixava margem para dúvidas de quem seria o vencedor.


Fontes


ANÁLISE DA JORNADA

4ª JORNADA: LEIXÕES, NACIONAL E SPORTING PARTILHAM LIDERANÇA, COM F.C. PORTO E BENFICA A UM PONTO




PATRÍCIA MARTINS


O dérbi lisboeta aproximou as contas do campeonato: com a derrota do Sporting, o Porto consegue ficar a um ponto dos leões, assim como o Benfica que beneficia da mesma situação. O Nacional perdeu a oportunidade de se isolar em primeiro lugar e continua com os mesmos pontos de Sporting e Leixões que se junta ao grupo da liderança. Trofense continua com zero pontos.


F.C. PORTO 2-0 PAÇOS DE FERREIRA


Os dragões venceram na abertura da jornada e aproximaram-se dos leões que foram derrotados pelo Benfica. Raul Meireles foi um dos obreiros da vitória ao marcar o primeiro golo (13´) e a fazer um excelente passe para o segundo golo, concretizado por Hulk. Uma vitória esperada diante de um Paços que continua com apenas um ponto somado.



SP. BRAGA 1-1 NAVAL


Os minhotos entraram bem na partida e conseguiram ficar em vantagem logo ao minuto 15, com um golo marcado por Meyong. No entanto, com o decorrer da partida a desilusão voltou. A Naval nunca perdeu a noção do que pretendia, soube ocupar os espaços e aguardar pelo momento certo, sem se precipitar num terreno difícil. Já perto do final foi assinalada uma grande penalidade que Bruno Lazaroni marcou sem falhar (83´). Um percurso irregular do Sporting de Braga que não tem estado ao nível que se esperava.



V. SETÚBAL 1-0 RIO AVE


Os sadinos venceram o Rio Ave com um golo de Ricardo Chaves (65´). Ainda não foi na deslocação ao Bonfim que a equipa nortenha conseguiu vencer nesta época. As duas formações apresentaram estratégias idênticas, o que aliado ao mau tempo tornou o jogo monótono. Contudo, pode-se dizer que a equipa de Faquirá foi superior a tempos à de Vila do Conde e merece, assim, os três pontos.


BENFICA 2-0 SPORTING


Os encarnados venceram o derby da jornada e acompanham o Porto na perseguição ao primeiro lugar. Os golos foram apontados por Reyes (66´) e Sidnei (71´). Esta vitória, depois de três anos sem vencer o Sporting na Luz, pode trazer alguma motivação extra ao emblema da águia.



MARÍTIMO 2-0 ACADÉMICA


Os madeirenses foram uns justos vencedores perante uma briosa com poucas soluções, que apresentou um futebol desconectado e sem grandes objectivos. Num fraco jogo no estádio dos Barreiros, Marcinho faz o primeiro golo do Marítimo nesta época 2008/2009 aos 42 minutos. Já em cima do minuto 90, Djalma alargou a vantagem.


NACIONAL 1-2 E. AMADORA


O Nacional perdeu uma boa oportunidade de se isolar na liderança da tabela classificativa. O Estrela da Amadora foi à Madeira confiante e disposto a dar luta para arrancar os três pontos. Conseguiu-o com dois golos de Vidigal (21´e 70´). Ao Nacional nada corria bem e aos 82 minutos Alonso desperdiçou uma grande penalidade. Só em períodos de descontos Nené conseguiu reduzir, mas esse golo não chegou para evitar que o Estrela trouxesse os três pontos da Choupana.



TROFENSE 1-3 V. GUIMARÃES


Tudo fazia prever que seria uma partida sem sobressaltos para o Guimarães, quando aos 33 minutos marcaram o primeiro golo, através de Douglas, e no minuto seguinte aumentaram a vantagem por Luciano Amaral. O trofense, mesmo a jogar em casa, não teve capacidade de reacção aos dois golos sofridos e parecia resignado, quando no minuto 82 Lipatin reduziu, fazendo o 2-1. O encontro foi relançado e a emoção apoderou-se de jogadores e adeptos até ao final da partida. Mas já em tempo de compensação Douglas bisou e fechou a conta em 3-1 para os vimaranenses. A formação da Trofa continua sem nenhum ponto nesta que é a época de estreia no escalão principal do futebol português.


BELENENSES 0-1 LEIXÕES


A equipa do Restelo acusou a insegurança dos maus resultados que tem alcançado esta época e acabou por perder o jogo. O Leixões, sem fazer um jogo excepcional conseguiu segurar o adversário, mesmo quando este tentou reagir e acabou por marcar um golo de alto nível: Fraga rematou com sucesso a 15 minutos do final do encontro. Depois foi só gerir o resultado. No fim desta quarta jornada o Leixões junta-se a Sporting e Nacional na liderança da Liga Sagres.



Confira aqui a tabela classificativa.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

O FUTEBOL LÁ FORA




GUILHERME BRAZ


Mais uma semana com futebol lá fora. A jornada europeia fica, inevitavelmente, marcada pelo derby de milão, que opôs o AC Milan ao Inter de José Mourinho, que saiu derrotado. Cristiano Ronaldo estreou-se a marcar na premier league, bem como Bosingwa. De resto, surpresas entre os favoritos não foram muitas, à excepção da liga francesa, onde todos os candidatos, à excepção dos heptacampeões do Lyon, cederam pontos.


LIGA INGLESA


Soube muito a Portugal esta jornada 6 da "Premier League". Cristiano Ronaldo voltou a colocar o Man Utd na senda das vitórias, desta feita com um golo (de pénalti) e uma primorosa assistência (de calcanhar) para Rooney fazer o 2-0, resultado final. De resto, os "grandes" pouco falharam esta jornada. Chelsea foi ao terreno do Stoke vencer por 0-2. Bosingwa marcou o seu primeiro golo pelos "blues" e ainda viu Anelka "matar" o jogo. Mais um golo para o francês, a provar que está num bom momento. Quem também está em excelente plano é Fernando Torres. O espanhol decidiu o derby de Liverpool, marcando os dois golos para a equipa de Rafa Benitez, e derrotando, assim, a equipa do Everton. Destaque ainda para o Arsenal, que não conseguiu levar de vencida a equipa do Hull. "The tigers" continuam a surpreender o mundo de futebol, e o "português" Geovanni marcou um grande golo. Cousin marcou o golo da vitória pa o Hull, enquanto que os "gunners" apenas conseguiram marcar com um auto-golo. O campeonato é liderado por Chelsea e Liverpool, com 14 pontos cada.

Ver resultados da liga inglesa aqui



LIGA ITALIANA


O derby milanês, o primeiro de Mourinho, dominou todas as atenções nesta jornada do "calcio". Ancellotti levou a melhor sobre "il speciale", ao vencer por 1-0. O golo foi marcado por Ronaldinho, que se estreou a marcar pelos "rossoneros". Kaká, o mágico brasileiro, assinou uma exibição de gala, tendo sido eleito como o melhor em campo. Com Quaresma em campo, a verdade é que o Inter tudo fez para inverter o resultado e, mesmo jogando com dez (Burdisso levou duplo amarelo), teve boas oportunidades para, pelo menos, empatar o jogo. À atenção do Benfica, o Nápoles foi vencer fora a equipa do Bolonha, com um golo "ao cair do pano" de Denis. Uma vez mais a Sampdória roubou pontos aos "grandes", desta feita à equipa da Juventus, que não foi além do nulo na partida. Uma palavra para as equipas de Roma. AS Roma e Lázio (que lidera isoladamente o campeonato) venceram por 2-0 e 1-3, respectivamente.


Ver resultados da liga italiana aqui



LIGA ESPANHOLA


Na liga de "nuestros hermanos", os favoritos tiveram que sofrer para vencer as suas partidas. O destaque da jornada vai para mais um derby, desta feita um derby "catalán". Espanhol e Barcelona defrontaram-se na catalunha, e a equipa de Guardiola saiu vencedora. Num jogo que ficou marcado pela violência (a partida esteve interrompida durante mais de dez minutos devido a um petardo que foi atirado de uma bancada para a outra), e pela polémica, já que o pénalti decisivo cobrado por Messi é inexistente. Os outros golos foram marcados por Coro para o Espanhol e por Henry, para o "Barça". O Real Madrid venceu o Bétis (com Ricardo no banco) por igual resultado. Heinze inaugurou o marcador, mas o empate surgiu, já na segunda parte, por Sergio García. Os sevilhanos, a jogar com mais um por expulsão de Marcelo, não aguentaram a pressão madrilena e, já nos descontos, o inevitável Van Nistelrooy garantiu a vitória para os homens de Schuster. O Valência, que recebe o Marítimo na próxima Quinta-Feira, continua numa onda goleadora. Villa bisou e leva já seis golos no campeonato. Mata e Joaquín assinaram os outros dois tentos com que o Valência ganhou o jogo (4-2) ao Deportivo La Coruña. Na liderança de "la liga" tudo na mesma: Villarreal e Valência partilham o primeiro lugar, com 13 pontos cada.


Ver resultados da liga espanhola aqui




LIGA ALEMÃ


O Bayern Munique voltou a perder na "Bundesliga". Depois da humilhante derrota em pleno Allianz Arena contra o Werder Bremen, desta feita os campeões alemães perderam por 1-0 contra o Hannover 96. Outro jogo que, a priori, geraria algum interesse nesta jornada era o Werder Bremen - Hoffenheim. E foi um grande jogo. Emoção até ao último minuto, com os "verdes" a vencerem por incríveis 5-4. Ozil foi, uma vez mais, o jogador em destaque, ao bisar na partida. O Leverkusen sofreu, mas venceu, no terreno do Bochum. Helmes voltou a marcar, após o "hat-trick" da passada jornada, e lidera a lista dos goleadores na "Bundesliga". Destaque ainda para o Schalke 04 que cedeu, frente ao Colónia do português Petit, a liderança ao Hamburgo (venceu 1-0) ao perder pela margem mínima (1-0).


Ver resultados da liga alemã aqui




LIGA FRANCESA


Na liga francesa, tudo na mesma. O Lyon continua destacado na liderança do campeonato com dois pontos de vantagens sobre o segundo classificado, Toulouse, e menos um jogo. O Lyon venceu em casa o Nancy por 2-1, graças à inspiração da dupla Benzema (melhor marcador do campeonato) e Fred, que marcaram um golo cada. Berenguer reduziu para o Nancy. A vitória ainda soube melhor aos "leões", já que nenhum dos candidatos à Ligue 1 conseguiu vencer. Marselha, Bordéus e Mónaco empataram, enquanto que o PSG cedeu nova derrota no "championnat".


Ver resultados da liga francesa aqui



«DRAGÃO» JÁ PARTIU PARA LONDRES



INCIDENTES À PARTIDA MARCARAM A MANHÃ NO AEROPORTO SÁ CARNEIRO. A COMITIVA ESTÁ CONFIANTE NUM BOM RESULTADO CONTRA O ARSENAL.




JOSÉ PEDRO PINTO




O F.C. Porto embarcou, esta manhã, para Londres, onde amanhã disputa a 2ª Jornada da Liga dos Campeões, frente ao Arsenal. A partida ficou marcada por uma pequena confusão gerada entre um adepto e Cristian Rodriguez, de pronto sanada, mas também pela confiança demonstrada pela comitiva «azul-e-branca».

O pequeno incidente entre o extremo uruguaio e um adepto do F.C. Porto foi sanado de forma rápida. O jogador terá sido insultado por um jovem, o que terá despoletado uma reacção dos seus companheiros de equipa.


Já quanto ao encontro de amanhã, os «dragões» estão confiantes para o embate da «Champions» contra o Arsenal, no Emirates Stadium. Lisandro López quer a vitória para que a sua equipa continue a liderar o Grupo G, mas também confessa que "caso não seja possível, o empate não será mau". O avançado argentino expressou ainda o desejo de que o F.C. Porto possa "controlar o jogo", para levar de vencida a turma de Arséne Wenger. Mariano González alinhou pelo mesmo diapasão: "Vamos jogar para ganhar ou na pior das hipóteses para empatar. A última coisa que queremos é perder".

A convocatória do F.C. Porto inclui já os nomes de Lucho González (regressado após a ausência da partida com o Paços de Ferreira) e Milan Stepanov. Confira, na íntegra, a convocatória de Jesualdo Ferreira para a operação da Liga dos Campeões:


Guarda-redes: Helton e Nuno;
Defesas: Nelson Benítez, Bruno Alves, Lino, Pedro Emanuel, Rolando, Sapunaru e Milan Stepanov;
Médios: Fernando, Guarín, Lucho Gonzalez, Raul Meireles e Tomás Costa;
Avançados: Cristian Rodríguez, Candeias, Hulk, Lisandro Lopez e Mariano Gonzalez.


A chegada da comitiva portista a Londres está programada para o fim desta manhã, sendo que a conferência de imprensa de antevisão da partida de amanhã está prevista para o fim da tarde. Às 18h30m, Jesualdo Ferreira orienta o treino de adaptação da equipa portuguesa no relvado do Emirates Stadium.





FONTES

sábado, 27 de setembro de 2008

CRÓNICA GAZETA DO FUTEBOL

BENFICA 2-0 SPORTING
LIGA SAGRES
4ª JORNADA
ESTÁDIO da LUZ, LISBOA, PORTUGAL






DERBY DECIDIDO À REY(ES)


PEDRO ROCHA


Quique ganhou o duelo frente a Bento. O técnico sportinguista não conseguiu bater o recorde de Szabo e acabou por perder na Luz. Três anos foi quanto durou a invencibilidade leonina no estádio do arqui-rival. Numa partida equilibrada e intensa, o Benfica venceu com justiça depois de uma segunda parte de grande nível. Com a derrota leonina – um único ponto separam os três grandes do futebol nacional. E já só falta um clássico nesta primeira volta.

SURPRESAS. Quique surpreendeu Bento ao manter o onze que derrotara o Paços na segunda-feira. Com uma dupla de centrais de 19 anos, o técnico espanhol conseguiu manter as redes encarnadas invioláveis. Jorge Ribeiro e Ruben Amorim mantiveram também a titularidade. Bento usou a equipa esperada com Miguel Veloso no lugar de Izmailov e Postiga a manter a titularidade. O jogo começou de forma frenética. O esperado e habitual receio ficou nos balneários. As equipas mostraram-se frágeis e as oportunidades de golo surgiram a bom nível. Djaló e Nuno Gomes perderam uma oportunidade cada um logo nos primeiros vinte minutos. O Benfica através de ataque continuado ou de bola parada abalou o sistema defensivo leonino. Já os leoninos aproveitaram e bem a velocidade dos seus avançados e com passes longos colocaram a defesa benfiquista em constante sobressalto. Postiga em evidência procurou várias vezes o golo mas sem resultados. Aos poucos o Benfica conseguiu dominar a partida e com Yebda em grande forma terminou o primeiro a tempo melhor que o Sporting ainda que sem colocar em perigo as redes de Patrício.

SAGAZ.Assim foi o técnico benfiquista. Com Amorim em claro sub-rendimento o técnico não esperou e logo ao intervalo colocou Katsouranis em campo. O grego foi o pêndulo que o Benfica precisava e uma das pedras decisivas no ascendente benfiquista. Com o reforço no miolo o Benfica chegou com mais facilidade à baliza leonina. Apesar de um ligeiro ascendente, a equipa encarnada não conseguia desbloquear o resultado. Quique volta a agir e retira um desgastado Nuno Gomes para colocar Aimar. O espanhol voltou a acertar na alteração. O dez argentino conseguiu dinamizar mais o ataque benfiquista, mas o golo continuava sem aparecer. Aí surgiu Reyes. Momento de pura inspiração com o espanhol a tabelar com Aimar e a rematar cruzado de “trivela” para bater Patrício. 1-0 e jogo vivo. Bento coloca imediatamente Derlei mas o Sporting não mais conseguiu reagir. Cinco minutos depois do primeiro as águias ampliam a vantagem. Na sequência de um livre, Sídnei bate Rui Patrício com um golpe de cabeça. O Sporting abalou e nunca mais rugiu no ninho das águias. O técnico leonino lancou Liedson e Pereirinha mas não causou qualquer efeito. O jogo caminhou para o fim sem alterações no marcador e sem reacção leonina. Vitória justa dos benfiquistas face a um Sporting equilibrado mas sem explosão para derrotar um Benfica organizado e inteligente.


Duarte Gomes – Nada a dizer; Quando assim é, o espectáculo sai beneficiado.


DERBY AO MINUTO




GUILHERME BRAZ




Acaba, então, o derby entre o Benfica e o Sporting. A equipa de Quique Flores foi superior nos segundos 45 minutos, e viu essa superioridade traduzir-se em dois golos. Já o Sporting, que foi decrescendo na sua qualidade de jogo à medida que os minutos passavam, não conseguiu dar a volta ao resultado. O Benfica reduz para um a diferença pontual em relação aos "leões".

93' - Fim da Partida. O Benfica vence por 2-0, com golos de Reyes e Sidnei.

92' - Última oportunidade para o Sporting. Djaló remata para defesa de Quim.

89' - Cartão amarelo para João Moutinho, após entrada dura sobre Maxi Pereira.

87' - Livre de Cardoso, por cima da barra.

85' - Sai um amarelo para Yebda, do Benfica. No minuto seguinte, amarelo para Grimi.

84' - Bom remate de Rochemback. O tiro do 26 dos leões saiu ao lado da baliza encarnada.

82' - Veloso remata a meia altura, mas o disparo "morre" nas mãos de Quim.

A 10 minutos do fim do jogo, o Benfica vence por 2-0. A verdade é que os "encarnados" entraram forte nesta segunda parte e, depois do golo de Reyes, a equipa leonina nunca mais se encontrou. Vida difícil para os "verde e brancos".

74' - Sai Reyes, entra Di Maria. Entretanto, Pereirinha levou amarelo

72' - Entram Liedson e Pereirinha, para os lugares de Romagnoli e Abel, respectivamente.

71' - GOLO DO BENFICA! Livre exímio de Carlos Martins, e Sidnei, livre de marcação, cabeceou para golo. A defesa do Sporting não está isenta de culpas

69' - Livre de Carlos Martins que não é desviado por ninguém e sai à figura de Patrício.

67' - Substituição no Sporting. Sai Postiga, entra Derlei

66' - GOLO DO BENFICA! Reyes tabelou com Pablo Aimar, e o espanhol chutou cruzado sem hipóteses para Rui Patrício.

62' - Grimi tirou um "cruzamento traiçoeiro". Quim estava atento

59' - Substituição no Benfica. Pablo Aimar rende Nuno Gomes

58' - Reyes atira por cima, de longe

51' - Dupla oportunidade para o Benfica. Primeiro Nuno Gomes e depois Carlos Martins remataram com algum perigo para a baliza do Sporting.

50' - Livre estudado entre Rochemback e Veloso, que resulta num remate por cima do português.

49' - O Sporting responde com um remate de João Moutinho que resulta em canto

47' - Bom remate de Jorge Ribeiro. Patrício defende.

21:54 - Início da segunda parte. No Benfica saiu Rúben Amorim, para entrar Katsouranis

_________________________________________________________________

Acabou a 1ª parte no Estádio da Luz. O jogo começou de forma muito intensa e teve bom ritmo até aos 30 minutos. Os últimos 15 minutos foram menos rápidos e sem oportunidades de relevo. Benfica e Sporting terão de fazer algo mais, se querem levar os 3 pontos em disputa.

46' - Fim da 1ª parte

43' - Remate de Rochemback, que sai desviado da baliza

35' - Reyes remata de longe, mas a bola é desviada por Abel

29' - Veloso remata fraco, à figura de Quim.

A meio da 1ª Parte, o Sporting está com um ligeiro ascendente sobre o Benfica. As bolas longas têm sido uma boa solução para os "leões". Djaló e Nuno Gomes protagonizaram as melhores oportunidades até ao momento.

23' - Mais uma oportunidade para o Sporting. Polga desmarca Postiga, mas Sidnei cortou bem.

20' - Bom remate de Postiga. O jogador rodou bem e chutou, ainda fora da área, para defesa apertada de Quim.

18' - Grande oportunidade para o Benfica. Nuno Gomes falha de baliza aberta, após um "cruzamento-remate" de Maxi Pereira.

14' - Boa oportunidade para o Sporting. Postiga cabeceia ao lado, após canto de Rochemback

12' - Benfica responde, mas o remate de Cardozo sai bastante ao lado

11' - Livre em zona perigosa a favor do Sporting. Veloso dispara contra a barreira

2' - Cardozo remata de muito longe, perto da barra

1' - Grande perdida de Djaló. Veloso desmarca o avançado leonino que pica a bola por cima da baliza

20h50 - Começa o jogo no estádio da luz


FICHA DE JOGO


Benfica - Sporting

Liga Sagres - 4ª Jornada

Estádio da Luz - 20h45

Árbitro - Duarte Gomes


Benfica - Quim, Maxi Pereira, Miguel Victor, Sidnei, Jorge Ribeiro, Ruben Amorim, Yebda, Carlos Martins, Reyes, Nuno Gomes, Cardozo
Suplentes - Moreira, Katsouranis, Léo, Binya, Di María, Aimar, Makukula

Treinador - Quique Flores


Sporting - Rui Patrício, Abel, Tonel, Polga, Grimi, Miguel Veloso, Rochemback, João Moutinho, Romagnoli, Postiga, Yannick Djaló
Suplentes - Tiago, Daniel Carriço, Pedro Silva, Pereirinha, Adrien Silva, Derlei, Liedson

Treinador - Paulo Bento

EDITORIAL


QUEM ROUBA A QUEM?




O Regulamento de Competições da Liga de Clubes, no seu artigo 69º, define a tabela de preços dos ingressos para a Liga Sagres: um mínimo de cinco Euros e um máximo de sessenta Euros. E são os clubes quem aprova e define esta mesma tabela em Assembleia-Geral da LPFP, podendo variar a cobrança nas bilheteiras de forma arbitrária ao longo da época. Vale a pena dizer mais alguma coisa?



É curiosa a forma quase instantânea como um simples adepto, tradicional comentador em conversas de café, nos responde a uma questão:

- Logo à tarde vai à bola? – perguntamos.
- Raios! Com os preços que estão, prefiro ver o jogo em casa, na televisão… – returque o adepto, virando mais uma página do seu diário desportivo.

Pois. É apenas um de muitos exemplos que preferem pagar a mensalidade da TV por cabo a gastar o mesmo montante numa partida de futebol de meio da tabela, às 18h de domingo, com o tempo chuvoso e com um espectáculo que não agrada a ninguém.

O sucedido no passado fim-de-semana, em Matosinhos, é mais uma gota que vai enchendo um copo que anda perto de transbordar com tamanha falta de respeito pelo futebol. Os dirigentes do Leixões foram os protagonistas da semana, pelas piores razões, ao impedirem os adeptos de irem ao Estádio do Mar. Sim, porque com preços estabelecidos a partir dos trinta Euros e com bilhetes a atingir o tecto dos sessenta, os adeptos não assistem aos jogos in loco. Preferem nem sair de casa ou optam por um convívio no café da esquina, com uma cerveja de um lado e os amigos do outro.

Senão vejamos: O Regulamento de Competições da Liga de Clubes, no seu artigo 69º, define a tabela de preços dos ingressos para a Liga Sagres: um mínimo de cinco Euros e um máximo de sessenta Euros. E são os clubes quem aprova e define esta mesma tabela em Assembleia-Geral da LPFP, podendo variar a cobrança nas bilheteiras de forma arbitrária ao longo da época. Vale a pena dizer mais alguma coisa?

Só isto: de bom grado se colocou, no próprio Estádio do Mar e por adeptos do Sp. Braga, uma tarja que comparava preços de bilhetes de grandes jogos do mesmo fim-de-semana (dentro dos quais se incluía o Chelsea – Man. Utd). Pagou-se menos em Stamford Bridge para ver espectáculo do que em Matosinhos para um jogo de início de época entre duas formações de meio da tabela.

Os precedentes abrem-se. Outros clubes e dirigentes sentem-se no direito de inflacionar os preços das entradas nos estádios. O ciclo completa-se, torna-se – ainda mais – vicioso. E o copo começa mesmo a transbordar.



F. C. PORTO REGRESSA ÀS VITÓRIAS DIANTE DO PAÇOS DE FERREIRA

Esta noite o Porto conquistou os três pontos, vencendo o Paços de Ferreira por 2-0. Raúl Meireles e Hulk foram os marcadores de serviço e os dragões têm a hipótese de se aproximar do Sporting, líder na classificação, que amanhã defronta o Benfica.


PATRÍCIA MARTINS


Em jogo de abertura da quarta jornada o F. C. Porto voltou a conquistar uma vitória, após dois jogos sem conseguir vencer. A superioridade do Porto diante deste Paços de Ferreira é inegável e logo ao minuto 14 conseguiu alcançar a vantagem no marcador através de Raúl Meireles: Após um passe de Lisandro, Meireles dispara certeiro para o fundo das redes de Cássio. Depois disso a equipa de Jesualdo Ferreira pareceu adormecer em alguns tempos.

Na segunda metade do encontro o Paços cresceu e criou mesmo algumas dificuldades aos tri-campeões nacionais. Com oportunidades causar perigo os castores estiveram perto de igualar a partida, trazendo ao de cima a impaciência de alguns adeptos mais descontentes. Contudo, com as substituições de Jesualdo que fez entrar Hulk para o lugar de Lisandro a aposta estava ganha. No minuto 70 chega o golo da tranquilidade: Raúl Meireles tabela de forma brilhante com Hulk e o brasileiro faz as redes da baliza tremerem pela segunda vez.

Daí para a frente bastou ao Porto recordar a diferença de dimensão dos dois emblemas e o Paços foi decrescendo na partida já descrente de uma reviravolta em terreno difícil.

Sem ser um jogo brilhante, F. C. Porto cumpriu a obrigação de vencer, aproximando-se dos leões que estão no primeiro lugar da classificação. Espera agora o dérbi disputado amanhã em Lisboa.

FICHA DE JOGO


FC PORTO 2-0 P. FERREIRA

Estádio do Dragão, no Porto
Hora: 21:15
Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa)

EQUIPAS OFICIAIS
FC PORTO - Helton; Sapunaru, Rolando, Bruno Alves e Lino; Tomás Costa, Fernando e Raul Meireles; Lisandro, Farías e Rodríguez.
Treinador: Jesualdo Ferreira.
Suplentes: Nuno, Pedro Emanuel, Benítez, Guarín, Mariano, Hulk e Candeias.
P. FERREIRA - Cássio; Ricardo, Ozeia e Tiago Valente; Filipe Gonçalves, Pedrinha, Filipe Anunciação, Paulo Sousa e Josa; Leandro Tatu e Cristiano.
Treinador: Paulo Sérgio.
Suplentes: Coelho, China, Chico Silva, Edson, William, Rui Miguel e Dedé.


FONTES:

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

ESTA SEMANA, ESCREVO EU...




AFINAL QUEM MANDA?




Há uma nova moda no futebol mundial. Uma moda em que o jogador diz que quer sair... e sai!




GUILHERME BRAZ




Este verão foi pródigo em solicitações de transferências feitas pelos próprios jogadores. “Eu quero ir para o Real Madrid”, diz Cristiano Ronaldo. “No Tottenham não jogo mais”, diz Berbatov. “Quero sair”, diz Moutinho. Enfim, são imensos os casos de jogadores que, para facilitar a sua saída dos clubes, manifestam à comunicação social essa vontade. Porque o fazem? Porque sabem que vai ter eco a nível mundial, o que desperta os interesses dos outros clubes, ao mesmo tempo que causa mal-estar dentro do clube onde militam.

Vukcevic, o caso nacional mais recente, disse à antena 1 que vai sair em Dezembro. Quando questionado sobre se já tinha clube, respondeu que não, mas que até lá o arranjaria seguramente. Como pode ter tanta certeza? Pergunte-se ao empresário.

A verdade é que hoje, no selvagem mercado das transferências futebolísticas, não sabemos quem manda. Sabemos quem deveria mandar, os clubes detentores dos passes do seu plantel. Agora é diferente: o clube manda, o jogador manda, o empresário manda.

Mas é o próprio futebol e os seus mais altos responsáveis que fomentam esta “anarquia”. Quando o Sr.Blatter vem falar nos jogadores de futebol como o maior exemplo da “escravatura moderna”, temos realmente de repensar no conceito de escravatura. Escravatura é o trabalho não remunerado ( os jogadores ganham milhares, ou até milhões num mês!), trabalho esse realizado sem qualquer tipo de condições laborais ( as dos jogadores de futebol são sensacionais). Sem me querer alongar muito mais, o que é certo é que os jogadores ganham muito mais e vêem os contratos revistos mais vezes do que um cidadão comum.

Então porquê estas súbitas vontades de sair dos jogadores? Como é que, por exemplo, o Cristiano Ronaldo decide dizer que o seu sonho é jogar no Real Madrid? Se o é, porque renovou o contrato com o Manchester United poucos meses antes de o dizer? Algo não está certo.

É preciso inverter esta tendência anárquica nas transferências futebolísticas. Que o “amor à camisola” praticamente não existe, entristece-me, mas ainda entendo, são as leis da vida e do mercado. Agora isto já é demais...




quinta-feira, 25 de setembro de 2008

DUARTE GOMES NO DERBI DA SEGUNDA CIRCULAR




ANDRÉ MATOS LEITE


Duarte Gomes, Bertino Miranda e José Lima constituem os três elementos da equipa de arbitragem que vai actuar no Benfica – Sporting da 4ª jornada da Liga Sagres.

Bancário de profissão, Duarte Gomes tornou-se árbitro na época 1991/1992. Esta temporada já apitou o Académica – Setúbal que terminou com a vitória dos “estudantes” por 1-0. Mostrou, durante o encontro, quatro cartões amarelos.

O clássico da Segunda Circular será disputado no próximo Sábado, às 20:45 horas.

Consulte as
nomeações para as 4ª jornadas das Ligas Sagres e Vitalis.



Fontes


ITÁLIA: JORGE ANDRADE DESPEDIDO




JUVENTUS RESCINDE COM JORGE ANDRADE: JOGADOR VAI RECORRER DA DECISÃO.




GUILHERME BRAZ




Jorge Andrade já não é jogador da Juventus. O clube transalpino decidiu findar o contracto com o jogador. Em causa estão as sucessivas lesões do internacional português.

No entanto, a Juventus pretende liberar o jogador sem o indemnizar. Segundo o contrato colectivo de jogadores em Itália, um clube pode rescindir a custo zero com todo o jogador que esteja inactivo por um período superior a seis meses. É o caso de Jorge Andrade, com paragem prevista de um ano.

O internacional português não aceita os argumentos da rescisão unilateral e pensa mesmo em avançar para os tribunais. Ao que se sabe, o central português já se terá reunido com os seus advogados para recorrer da decisão.

Jorge Andrade assinou pela Juventus em 2006, e custou ao clube de turim 10 milhões de euros. Com a rescisão, a Juventus poupará cerca de 4 milhões de euros em salários, segundo o Tuttosport.



Fonte


SÁBADO HÁ DERBY TAMBÉM NA GAZETA






Não perca, no próximo sábado, a grande cobertura que temos preparada para o S.L. Benfica - Sporting. O derby lisboeta, eterno como é, vai ser acompanhado ao minuto pela Gazeta do Futebol.



DERBY AO MINUTO (minuto a minuto, jogada a jogada)
e
CRÓNICA GAZETA DO FUTEBOL (a análise do jogo)

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

TAÇA DA LIGA: RIO AVE ELIMINA LEIXÕES



O RIO AVE VENCEU, ESTA TARDE, O LEIXÕES POR 2-1. OS LEIXONENSES FICAM ASSIM ELIMINADOS DA TERCEIRA PROVA NACIONAL. NOS RESTANTES JOGOS DESTAQUE PARA A PRIMEIRA VITÓRIA DO TROFENSE, ESTA ÉPOCA, MESMO COM TÉCNICO INTERINO.


PEDRO ROCHA


A Taça da Liga regressou esta quarta-feira aos relvados portugueses. A segunda jornada da primeira fase de grupos decorreu sem grandes surpresas.

Os comandados de João Eusébio bateram o Leixões no Estádio do Mar por 2-1, resultado que afasta da competição a equipa de José Mota. Ronaldo abriu o marcador para o Rio Ave, Hugo Morais ainda deu esperanças aos homens de Matosinhos mas Tarantini a dez minutos do fim colocou o Rio Ave mais perto da próxima fase. Na terceira jornada desta fase, os vilacondenses decidem com o Braga quem segue em frente.

No grupo B, o Gil Vicente derrotou o Covilhã e ascendeu à primeira posição. Os homens de Hélio Sousa ficam afastados da competição mesmo depois do empate conseguido na primeira jornada frente ao Belenenses. Quanto ao Gil Vicente defronta o Belenenses, em casa, e caso não perca apura-se para a próxima eliminatória.

No grupo C, o Estrela goleou o Vizela por 4-1 e discute na próxima e ultima jornada a qualificação com o Paços de Ferreira na Mata Real.

No grupo D, o Trofense obteve a primeira vitória esta temporada em jogos oficiais. Já sem Toni no comando, os nortenhos derrotaram a União de Leiria com um único golo de Valdomiro.

Nos restantes grupos (E, F), o Estoril derrotou o Olhanense de Jorge Costa (2-1) e o Gondomar foi a Freamunde vencer a equipa local por 1-0. A equipa de Olhão fica pelo caminho, o Freamunde tem ainda possibilidades matemáticas de apuramento.

A terceira jornada decorre no dia 29 de Outubro. Aí ficaremos a saber quem se junta a Porto, Sporting, Benfica, Guimarães, Marítimo e Vitória de Setúbal (seis primeiros classificados da Liga na época passada) para a terceira fase da competição.


terça-feira, 23 de setembro de 2008

TAÇA DE PORTUGAL: 3ª ELIMINATÓRIA JÁ FOI SORTEADA





ANDRÉ MATOS LEITE


Já são conhecidos os jogos da 3ª eliminatória da edição 2008/2009 da Taça de Portugal. Dos “três grandes” só o Benfica joga em casa contra o Penafiel. Sporting e Porto visitam, respectivamente, o Leiria e o Sertanense.

O Penafiel disputa, actualmente, a II Divisão B tendo estado na Primeira Liga, pela última vez, na época 2005/2006, enquanto que o Leiria está na 14ª posição da Liga Vitalis. Já o Sertanense actua na III Divisão e tem a oportunidade de se desforrar do Porto. É que na última temporada, quando a formação da Sertã prometia ser um “tomba-gigantes”, foi o clube do “dragão” que causou a sua eliminação com um derrota por 4-0.

A 3ª eliminatória da Taça de Portugal disputa-se a 19 de Outubro, embora haja ainda dois participantes a apurar (estão pendentes de dois jogos ainda não disputados da 2ª eliminatória).

Veja aqui a
lista dos encontros


Fontes

ANÁLISE DA JORNADA

3ª JORNADA: SPORTING E NACIONAL LIDERAM A MAIOR DISTÂNCIA DE DRAGÕES E ÁGUIAS


PATRÍCIA MARTINS



A Terceira jornada desta Liga Sagres não trouxe, de um modo geral, bons espectáculos de futebol. Muitas faltas, com grande parte dos golos a resultarem de penalties. F.C. Porto voltou a marcar passo na caminhada para a renovação do título, enquanto Sporting e Nacional da Madeira se adiantam na liderança da tabela. Braga e Marítimo que lutam abertamente por representar Portugal nas competições europeias têm ainda muito a esculpir e provar dentro de relvado.

SPORTING 2-0 BELENENSES

Neste derby lisboeta os leões levaram o belenenses de vencido. Um jogo que no início prometia ser bem disputado acabou por murchar de intensidade após o primeiro golo do aos 34 minutos: Hélder Postiga fez o 1-0 para o Sporting, embora estivesse em posição irregular. Na segunda metade Paulo Bento fez Vukcevic regressar aos relvados. No minuto 49 Romagnoli converteu um penalty cometido sobre Postiga e fecha o resultado. A seguir, assistiu-se a um jogo deplorável em que as duas equipas se arrastaram até ao final do encontro. O Sporting é líder e em 3 jogos conseguiu 9 pontos.

E. AMADORA 0-0 MARÍTIMO

Fraco jogo na Reboleira que demonstra uma realidade preocupante no futebol português. A primeira parte foi deplorável e só na segunda se conseguiu assistir a algumas oportunidades de golo. Ainda assim, não surtiram qualquer efeito e o jogo terminou com um nulo no marcador. O Marítimo conseguiu o primeiro ponto neste campeonato, contudo, continua sem marcar qualquer golo já para não falar na péssima qualidade de jogo. Situação preocupante para quem pretende os lugares europeus.

NAVAL 3-1 TROFENSE

A formação da Figueira da Foz foi superior e venceu, deixando o clube da Trofa isolado em último lugar, sem qualquer ponto acumulado. Em dois minutos a Naval facturou dois golos (21´e 22´), através de Dudu e Marcelinho. Com a euforia a turma da casa facilitou e logo de seguida Miguel Ângelo reduziu para o Trofense (24´). Daí para a frente não houve nenhum motivo de interesse na partida. Já em cima do minuto 90´o árbitro da partida mancha a actuação ao assinalar grande penalidade de forma incorrecta a favor da Naval. Alexandre Hauw converteu e trancou o marcador em 3-1.

LEIXÕES 2-0 BRAGA

Jogo rodeado de polémicas, sobretudo por parte da equipa de arbitragem. O treinador José Mota foi expulso ainda antes do intervalo e César Peixoto levou um cartão vermelho directo na segunda metade da partida. Falando do jogo propriamente dito, os matosinhenses chegaram ao primeiro golo ao minuto 35 por Wesley. Aumentou mais tarde a vantagem aos 58 minutos através do avançado Marques. Os bracarenses somam a segunda derrota consecutiva e deixam a preocupação no ar.

RIO AVE 0-0 F.C. PORTO

Depois do empate na ronda inaugural diante do Benfica, o Rio Ave voltou a empatar um “grande” no estádio dos Arcos. Desta feita, os dragões não encararam com a devida importância este adversário e acabaram por ser dominados pela equipa da casa. Os visitantes melhoraram claramente a atitude na segunda parte, reagiram e criaram mesmo algumas oportunidades que podiam ter dado em golo. Mas tal não aconteceu e o nulo manteve-se no marcador. Os portistas queixam-se de uma mão de Gaspar na grande área que ficou por assinalar, no entanto isso não chega para justificar todos os erros cometidos na partida.

ACADÉMIA 1-0 V. SETÚBAL

A académica fez-se valer do descanso de três semanas sobre o Setúbal e conseguiu vencer os sadinos. Recorde-se que já há 10 anos que os estudantes não venciam o Vitória em Coimbra. Um jogo a horas tardias num Domingo chuvoso não fazia esperar muito mais do que se viu: os jogadores movimentavam-se no terreno de jogo um pouco arrastados. No minuto 80 Cléber converteu uma grande penalidade e fixou o resultado na vitória da Académica pela margem mínima.

V. GUIMARÃES 0-2 NACIONAL

O Nacional foi a Guimarães arrecadar os três pontos. Os insulares marcaram dois golos de grande penalidade. O primeiro foi marcado por Nené (28´) e o segundo por Alonso (61´). O estádio D. Afonso Henriques assistiu a um jogo emotivo, no qual Manuel Machado provou o bom trabalho que está a fazer com a estrutura do Nacional. De lamentar apenas que o onze inicial contenha um único português: Patacas. Os vimaranenses terminaram a partida reduzidos a dez, após as expulsões de Sereno e Gregory por agressão. Os madeirenses são líderes da liga Sagres, com os mesmos pontos do Sporting.

PAÇOS DE FERREIRA 3-4 BENFICA

Sem ser um jogo bonito, foi sem dúvida emotivo. Uma partida com sete golos e disputada até ao último minuto deixa qualquer adepto menos interessado preso à cadeira. Quique Flores fez com que Nuno Gomes se estreasse a titular na Mata Real e o avançado cumpriu: logo aos seis minutos colocou os encarnados em vantagem. O empate surgiu aos 13 minutos, por Ozéia, mas Maxi Pereira recolocou o Benfica em vantagem fazendo o 2-1 à meia hora de jogo. Ainda antes do intervalo Cardozo converteu uma grande penalidade alargando a vantagem. Quando se pensava que a partida estava decidida, Rui Miguel volta a marcar para a equipa da casa (63´). Jorge Ribeiro aos 76 minutos também se estreou a marcar um grande golo colocando a águia a vencer por 4-2. A quatro minutos do final William encerra o marcador em 3-4. A equipa da Luz sai da Mata Real com a vitória e encontra-se com os mesmos pontos do rival F.C. Porto, a quatro pontos dos líderes Sporting e Nacional.

Confira aqui a tabela classificativa.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

BENFICA CONQUISTA PRIMEIRA VITÓRIA NA LIGA SAGRES





ANDRÉ MATOS LEITE


Foi um jogo de “todos os golos” que se disputou na Mata Real entre o Paços de Ferreira e o Benfica. A formação das “águias” não teve a vida fácil para vencer a equipa da casa por 4-3. Quim esteve em risco de ser o vilão dos adeptos da Luz, mas acabou o encontro como (quase) herói.

Nos momentos iniciais da partida ambas as formações pareciam equilibradas, embora com ligeira vantagem para os “encarnados”. Esta mesma vantagem evidenciou-se aos 7 minutos quando, numa rápida jogada de contra-ataque, Reyes recebe de Carlos Martins e cruza para a área. Nuno Gomes consegue chegar à bola inaugurando o marcador. Estava feito o primeiro para o Benfica. A equipa da casa não queria perder, acelerou no ataque e, aos 14 minutos, recebeu a sua recompensa. Na sequência de um canto, Reyes falha o alívio e a bola sobra para Ozeia que, num remate que contou com a “ajuda” de Sidnei, igualou a partida. A turma de Quique Flores ressentiu-se do golo sofrido e, entre passes falhados e a incapacidade de pressionar no meio-campo, viu o Paços ganhar um grande ascendente. Só que a sorte da noite estava com as “águias” que conseguiram marcar, contra a corrente do jogo, aos 31 minutos. Nuno Gomes cabeceia a passe de Ruben Amorim e Maxi Pereira, na recarga, repõe o Benfica na frente do marcador. Os “encarnados” aproveitaram para recuperar a presença no campo acabando por dilatar a vantagem perto do intervalo por Cardozo. O paraguaio não perdoou na cobrança de um grande penalidade a castigar mão de Tiago Valente na grande área.

A formação pacense voltou do balneário pronta a fazer o necessário para virar a partida. O Benfica apresentava fragilidades defensivas que o Paços explorava vez após vez. Com o minuto 63 chegou um canto para a equipa da casa. Quim, na pequena área e com tudo para segurar a bola, soltou o esférico depois de o ter nas mãos. Rui Miguel não desperdiçou tal oportunidade. 3-2 e o jogo relançado. Dez minutos volvidos e novo erro do guardião “encarnado” que defende para a frente um remate rasteiro de Leandro Tatu. Com as “águias” sufocadas, Jorge Ribeiro aproveitou a estreia na corrente temporada para ganhar espaço no plantel de Quique. O lateral subiu bem e conseguiu um grande remate que não deu hipóteses ao guarda-redes Bruno Conceição. Com 4-2 no marcador parecia que o Benfica tinha a vitória assegurada. No entanto, a defesa continuava a conceder muitas facilidades. Aos 86 minutos, canto para o Paços, a defesa “encarnada” falha o alívio e William faz o 4-3. Chegados os minutos finais, a carga final dos pupilos de Paulo Sérgio prometia conseguir o empate, mas ninguém contava com a “arma secreta” Quim. O guardião das “águias” redimiu-se da má exibição com duas defesas que permitiram à sua equipa segurar os 3 pontos.

FICHA DE JOGO

Liga Sagres - 3ª Jornada
Estádio da Mata Real, Paços de Ferreira
Hora: 21:00
Árbitro: Bruno Paixão (Lisboa)

P. FERREIRA: Bruno Conceição, Ricardo, Tiago Valente, Ozéia e Chico Silva; Pedrinha, Filipe Anunciação e Paulo Sousa; Edson, William e Leandro Tatu.
Suplentes: Coelho, Cristiano, Josa, Kiko, Rui Miguel, Filipe Gonçalves e André Pinto.
Treinador: Paulo Sérgio

BENFICA: Quim, Maxi Pereira, Miguel Vítor, Sidnei e Jorge Ribeiro; Yebda, Carlos Martins, Ruben Amorim e Reyes; Nuno Gomes e Cardozo.
Suplentes: Moreira, Léo, Binya, Aimar, Balboa, Di María e Makukula.
Treinador: Quique Flores

F.C. PORTO: TREINO NA RESSACA DO EMPATE EM VILA DO CONDE




OS «DRAGÕES» TREINARAM ESTA MANHÃ, NO OLIVAL, COM AMBIENTE CARREGADO PELO EMPATE DA NOITE PASSADA FRENTE AO RIO AVE. UM APRONTO DE RECUPERAÇÃO PARA OS TITULARES DE ONTEM E TREINO COM BOLA PARA OS RESTANTES.




JOSÉ PEDRO PINTO




O F.C. Porto treinou esta manhã, no Olival, escassas horas após o segundo empate no campeonato registado na noite de ontem, frente ao Rio Ave. Em ambiente carregado e ainda na ressaca das críticas que Jesualdo Ferreira deixou à entrega da equipa em Vila do Conde, os «dragões» preparam já o próximo embate para a Liga Sagres, na próxima sexta-feira, quando receberem o Paços de Ferreira em casa.


Os titulares do jogo de ontem fizeram o normal trabalho de recuperação, aos quais se juntaram Hulk e Lino, que entraram durante a partida. Já os restantes elementos do plantel ao serviço de Jesualdo Ferreira treinaram exercícios com bola. No boletim clínico do «dragão» destaque ainda para Rabiola que continua a alternar entre o treino de campo e o ginásio e mantém-se como o único atleta entregue ao departamento médico.


O próximo apronto dos «dragões» está marcado para a manhã de terça-feira, às 10 horas, e estará aberto à comunicação social durante os primeiros 15 minutos.






FONTES

O FUTEBOL LÁ FORA





GUILHERME BRAZ



Foi uma jornada com poucas surpresas na Europa do futebol. Os grandes emblemas europeus cumpriram o estatuto de favoritos. A excepção vem da Alemanha: O Bayern foi humilhado na sua própria casa (2-5) pelo Werder Bremen.




LIGA INGLESA:


A 5ª jornada da liga inglesa fica marcada pelo clássico entre o Chelsea-Man Utd. Num jogo muito “português” (Carvalho e Bosingwa jogaram pelos “blues” e C.Ronaldo pelos “reds”), o Chelsea manteve a onda de invencibilidade em Stamford Bridge, assegurando um empate a uma bola. Park Ji-Sung e Kalou foram os marcadores da partida. O Arsenal lidera isoladamente o campeonato, após a vitória por 1-3 no Reebok Stadium, contra a equipa do Bolton. A jornada fica ainda marcada pela exibição de gala do Man.City que “cilindrou” o Portsmouth com seis golos sem resposta. Robinho foi um dos marcadores do encontro.


Ver resultados da Liga Inglesa aqui




LIGA ITALIANA:


Mourinho voltou a vencer para o campeonato, desta feita com uns claros 1-3 contra o Torino. Pisano (p.b) Maicon e Ibrahimovic marcaram para os “nerazzurri”, enquanto que Abbruscato reduziu para o Torino. Os comandados do “special one” partilham a liderança com a Juventus (7 pontos cada) que foi ao terreno do Cagliari vencer por 0-1 com um golo do ex-Palermo Amauri. O português Tiago, com vida difícil em Turim, entrou aos 61minutos. Destaque ainda para o AC Milan, que com as estrelas Ronaldinho e “Sheva” no banco, inverteu os resultados menos positivos do início do campeonato, e logo com uns claros 4-1 contra a Lázio. A equipa romana nunca se encontrou num jogo em que Seedorf, Zambrotta, Kaká e Pato marcaram para os milaneses, e Mauro Zarate fez o único tento da Lázio.


Ver resultados da Liga Italiana aqui




LIGA ESPANHOLA:


Na liga espanhola, Barcelona, Real Madrid, Atlético de Madrid e Valência fizeram valer o estatuto de favoritos para levar de vencida os seus adversários. O Valência, com Miguel e Manuel Fernandes no onze, sofreu para vencer o Osasuna. 1-0 foi o resultado, com o golo a ser assinado por Mata, aos 83 minutos. Já o Barcelona e o Atlético não tiveram tantas dificuldades. Os catalães “despacharam” o Gijón por claros 1-6. Messi esteve em destaque, ao facturar por duas vezes. Já o Atlético venceu o Recreativo no “Calderón” por 4-0. Os portugueses estiveram em destaque neste jogo, com Simão a assistir e Maniche a facturar. De referir ainda a vitória do Real Madrid, que venceu em Santander o Racing com dois golos sem resposta. De la Red e Van Nistelrooy foram os autores dos tentos madrilenos. Finda a terceira jornada, a equipa do Valência lidera o campeonato com 7 pontos, os mesmos que Almería, Villarreal e Espanhol.


Ver resultados da Liga Espanhola aqui




LIGA ALEMÃ:


A jornada cinco da “Bundesliga” fica, inevitavelmente, marcada pelo desaire caseiro do Bayern Munique contra o Werder Bremen. A goleada histórica começou a ser construída por Rosenberg aos 30 min e foi ampliada por Naldo, mesmo no final do 1º tempo. Na segunda parte, os golos do Bremen continuaram a aparecer e aos 66 minutos já a equipa de Hugo Almeida (que não saiu do banco de suplentes) vencia por 0-5, deixando os quase 70000 adeptos no Allianz Arena perplexos. O ex-Bremen Borowski bisou, atenuando o resultado para 2-5. O Hoffenheim continua a surpreender e goleou desta feita o Dortmund por 4-1. A “chapa 4” foi também aplicada pelo Bayern Leverkusen ao Hannover 96, com Helmes a assinar um “hat-trick”. O Schalke 04 sofreu para vencer o Eintracht Frankfurt pela margem mínima (1-0). A equipa que eliminou o F.C Porto na última edição da “Champions”, lidera isoladamente a “Bundesliga”, com 11 pontos.


Ver resultados da Liga Alemã aqui




LIGA FRANCESA:


Na “ligue 1”, a sexta jornada trouxe poucas surpresas, com excepção para o Paris Saint-Germain, que perdeu contra o Saint Ettiene (1-0). A reforçada equipa parisiense não teve argumentos para dar a volta ao golo de Dabo, contratado pelo Saint-Ettiéne para substitui o agora reforço do Porto, Guarín. O Lyon continua a cumprir os “serviços mínimos” e foi ao terreno do Le Havre vencer por 0-1, com Piquionne a facturar de grande penalidade. Os heptacampeões lideram o campeonato com 13 pontos, mais um do que o Marselha (que não foi além do nulo contra o Monaco), e com menos um jogo.


Ver resultados da Liga Francesa aqui



domingo, 21 de setembro de 2008

LIGA SAGRES: RIO AVE TRAVA PORTO


O PORTO EMPATOU A ZERO FRENTE AO RIO AVE. DEPOIS DO BENFICA OS VILACONDENSES VOLTARAM A EMPATAR UM GRANDE. OS PORTISTAS DEMONSTRARAM OUTRA VEZ FRAGILIDADES NO ATAQUE E ESTÃO JÁ A QUATRO PONTOS DO SPORTING.


PEDRO ROCHA


O F.C. Porto voltou a ceder pontos nesta Liga. Esta noite, frente a um Rio Ave organizado não foi além de um empate. Numa partida bem disputada o nulo acaba por aceitar-se face à primeira parte cinzenta dos portistas. João Eusébio volta a empatar um grande no seu estádio e novamente com todo o mérito. Com este empate, a equipa de Jesualdo Ferreira soma cinco pontos e está já a quatro do líder Sporting. O Rio Ave está em 13º, com dois pontos.


Cinzento. Assim esteve o tempo no estádio dos Arcos e assim começou a partida. Muita luta no meio-campo e pouco perigo junto das balizas. O Rio Ave aos poucos perdeu o medo face ao campeão e ganhou ligeiro ascendente na partida. Com Chidi e Evandro em bom planos, os vilacondenses criaram alguns lances que a defensiva portista resolveu a preceito. O Porto desperdiçou quarenta e cinco minutos. A equipa de Jesualdo esteve amorfa e sem causar qualquer perigo durante o primeiro tempo, excepção feita a dois remates, Sapunaru e R. Meireles, defendidos por Paiva.

Na segunda metade, os azuis e brancos acordaram, empurraram o Rio Ave para o seu meio-campo e dispuseram de algumas ocasiões para quebrar o empate. A equipa de João Eusébio procurou reagir mas nunca teve o discernimento suficiente para colocar Helton em perigo. Com o aproximar do fim do encontro e com as substituições operadas, Jesualdo parecia perto de ganhar a batalha táctica frente a João Eusébio. Os postes e a falta de poder de fogo dos dragões não o permitiram.

O jogo acabou mesmo empatado. Resultado justo pela má primeira parte dos portistas e pela bravura vilacondense. No final, ambas as equipas se queixaram da arbitragem. Aos 79º minutos, Gaspar parece ter cometido grande penalidade por mão. No minuto 90, o Rio Ave queixa-se também de uma falta de Lucho sobre Semedo perto da área portista que o árbitro deixou passar.


Estádio do Rio Ave, em Vila do Conde

Árbitro: Pedro Proença (AF Lisboa)

Rio Ave: Paiva; Miguel Lopes, Gaspar, Bruno Mendes e Sílvio; André Vilas Boas, Niquinha (André Carvalhas, 90+2), Delson e Livramento (Tarantino, 65m) e Evandro; Chidi (Semedo, 70m)

Suplentes não utilizados: Mora, Jorge Humberto, Wires e Ronaldo

FC Porto: Helton; Sapunaru, Rolando, Bruno Alves e Fucile (Lino, 60m); Fernando, Lucho e Raul Meireles (Candeias, 78m); Mariano (Hulk, 60m), Lisandro e Rodriguez

Suplentes não utilizados: Nuno, Pedro Emanuel, Tomás Costa e Farías

Disciplina: Cartão amarelo a Rolando (21m), Fucile (23m), Livramento (29m), Lucho (47m) e Cristian Rodriguez (89m)

Marcadores: Nada a assinalar

Ao intervalo: 0-0

Resultado final: 0-0.

sábado, 20 de setembro de 2008

LIGA SAGRES: SPORTING VENCE COM POSTIGA EM GRANDE



NO CLÁSSICO DE LISBOA, O SPORTING DESPACHOU O BELENENSES COM DOIS GOLOS, É LÍDER (À CONDIÇÃO) E VIU UM POSTIGA COM PÉ QUENTE A MARCAR UM GOLO E A ESTAR NA ORIGEM DO OUTRO.



JOSÉ PEDRO PINTO



O Sporting venceu, esta noite, o Belenenses por 2-0, em Alvalade. Na partida que inaugurou a 3ª Jornada da Liga Sagres, o «leão» saiu triunfante do clássico lisboeta, com golos de Postiga e Romagnoli, registando uma boa exibição e justificando os três pontos amealhados contra um Belenenses que quase ou nada ameaçou as redes à guarda de Rui Patrício. O Sporting esperará agora pelo resultado de segunda-feira do Nacional da Madeira em Guimarães para saber se termina a jornada como líder isolado da Liga Sagres.

A 1ª Parte foi inteiramente dominada pelos pupilos de Paulo Bento, que demonstraram um melhor futebol nos primeiros 20’ da partida, não obstante o facto de não terem concretizado as oportunidades de que dispuseram. Postiga começou a noite a falhar um golo certo, logo aos 6’, após boa desmarcação de Rochemback. O Belenenses de Mior tinha prometido um jogo aberto frente aos «leões» mas a estratégia adoptada colocava os do Restelo a jogar nos seus últimos 30 metros, algo que o Sporting soube aproveitar para criar perigo, através de bolas paradas, com Rochemback em claro destaque, mas sobretudo pelas alas. De resto, foi mesmo pela extrema-esquerda que se começou a fabricar o 1-0: Romagnoli cruzou para a grande-área, Djaló assistiu Postiga que, em posição de fora-de-jogo, não desperdiçou, abrindo o marcador. Estava decorrido o minuto 34’.

A entrada de Vukcevic logo no reatamento da partida, por troca com o lesionado Izmailov, marcou o regresso do montenegrino ao «11» do Sporting e a equipa mostrou mais rapidez e força nas transições ofensivas. Tanto que, aproveitando ainda o espaço em demasia dado pela defensiva de Belém, Postiga sofreria grande penalidade de Maikon (duvidosa) e Romagnoli marcaria o 2-0 no seguimento (50’). Foi tempo de o Sporting se soltar mais, com o resultado controlado, e criar mais chances para sentenciar a partida, com remates de Romagnoli e Moutinho que não deram golo e com Vukcevic a evidenciar bons pormenores e entrosamento com o resto da equipa. O Belenenses ainda ameaçou por duas vezes, com Patrício a negar o golo a Silas e a Mano, mas o resultado não se alteraria até ao final.

O Sporting acaba por somar a sua terceira vitória em outros tantos jogos para o campeonato e, na próxima jornada, há novo clássico na Luz com o S.L. Benfica. Já em relação ao Belenenses, recebe em casa o Leixões em busca da primeira vitória na Liga Sagres.



FICHA DE JOGO


Liga Sagres, 3.ª jornada
Estádio José Alvalade, Lisboa
Hora: 20.30
Árbitro: Elmano Santos (Madeira)


SPORTING: Rui Patrício, Abel, Tonel, Polga e Caneira; Rochemback, João Moutinho, Romagnoli e Izmailov; Yannick Djaló e Hélder Postiga.
Suplentes: Ricardo Batista, Pedro Silva, Ronny, Miguel Veloso, Pereirinha, Vukcevic e Tiuí.
Treinador: Paulo Bento.


BELENENSES: Júlio César; Carciano, Alex e Matheus; Mano e Gabriel Gómez; Silas, Zé Pedro e Maykon; Wender e Porta.
Suplentes: Costinha, Vanderlei, Edimilson, Vinícius, Roncatto, Júnior Negão e João Paulo Oliveira.
Treinador: Casemiro Mior.



EDITORIAL


A VIL INCOMPETÊNCIA

DO

DIRIGISMO DESPORTIVO PORTUGUÊS



Depois, acontece que o campeonato pára três semanas. Duas delas reservadas a compromissos de selecções nacionais (nada contra); a outra porque pura e simplesmente foi decidido, nessas tais Assembleias-Gerais, que os clubes da Liga Sagres não deveriam entrar já na 2ª Eliminatória da Taça de Portugal. Ficou por evitar um hiato competitivo tão alargado. E escusado.




A questão da calendarização do futebol português e todos os problemas que da sua definição advêm não são de agora. Um problema anacrónico deste desporto, no nosso país, passa e sempre passou pela falta de comunicação entre os dirigentes desportivos e as entidades regentes do futebol ou, qui ça, pela inexistência de contactos de todo, numa actuação muito sui generis do dirigismo desportivo.

As Assembleias-Gerais que juntam à mesa Liga de Clubes, Federação Portuguesa de Futebol e demais clubes assumem-se como efemérides curiosas, nas épocas que vão passando. As discussões acesas entre presidentes sobre as situações mais banais e sobre quais dos interesses devem sobressair extravasam o domínio do razoável, colocando as questões mais determinantes para toda uma época desportiva (leia-se, por exemplo, calendários) para um segundo plano que raramente são decididas com a calma e ponderação que se exigem.

Depois, acontece que o campeonato pára três semanas. Duas delas reservadas a compromissos de selecções nacionais (nada contra); a outra porque pura e simplesmente foi decidido, nessas tais AG’s, que os clubes da Liga Sagres não deveriam entrar já na 2ª Eliminatória da Taça de Portugal. Ficou por evitar um hiato competitivo tão alargado. E escusado.

Os clubes protestaram contra a situação mal terminou a partida de Portugal frente à Dinamarca. Em entrevista à Rádio Renascença, dois presidentes – Paços de Ferreira e Rio Ave – afirmaram que as três semanas de paragem se repercutiram, de forma negativa, nas receitas de bilheteira. Um outro dirigente, desta feita do Trofense, colocou o dedo na ferida e apertou com toda a força: os calendários são decididos pelos clubes em Assembleia-Geral e esta época não foi excepção.

Paulo Bento foi o único treinador que se pronunciou sobre esta situação, na conferência de imprensa que antecedeu a partida da «Champions» na Catalunha, encarnando Pilatos e lavando daí as suas mãos. Disse Bento que se poderia ter evitado essa situação. Terá o treinador dos «leões» pedido essas mesmas explicações a Rogério de Brito, representante do Sporting na Liga de Clubes? Sim, porque para alguma coisa serve ter dirigentes na Direcção da LPFP: potenciar o futebol, decidir atempadamente e evitar questões tão óbvias como as despoletadas de forma infantil com a calendarização do futebol nacional.