sexta-feira, 30 de novembro de 2007

ESTA SEMANA, ESCREVO EU…


CARLOS QUEIROZ VS. FILIPE SOARES FRANCO


Se Carlos Queiroz dissesse que Miguel Veloso não interessa nem nunca interessará ao Manchester estaria a passar um atestado de incompetência a si e a toda a equipa técnica do clube. Mais ainda, durante a entrevista jogadores do Porto e do Barcelona também foram mencionados. Alguém viu os respectivos presidentes embirrarem por causa disso?


ANDRÉ MATOS LEITE



A recente guerra de palavras entre Carlos Queiroz, técnico adjunto do Manchester United, e Filipe Soares Franco, presidente do Sporting, tem-se revelado bastante interessante. Não por a discussão ser, em si, motivo de interesse. Tem sido interessante por se tratar de mais uma inutilidade perpetuada pelas instituições desportivas em Portugal.

Tudo começou quando Carlos Queiroz, numa entrevista concedida poucos dias antes do último Manchester United – Sporting, falou novamente no nome de Miguel Veloso como possível reforço do clube em que trabalha. Soares Franco não gostou e criticou a atitude como “eticamente reprovável”. Queiroz respondeu de forma menos correcta e os “leoninos” ameaçam avançar com um processo judicial. O primeiro problema em toda esta polémica é que o adjunto de Sir Alex Ferguson nunca disse que queriam contratar Miguel Veloso. O segundo é que, por muito agressiva que tenha sido a resposta ao presidente do Sporting, poucos são aqueles que não teriam tido a mesma reacção que o técnico-adjunto do Manchester.

Carlos Queiroz afirmou que, Filipe Soares Franco, “ou não sabe ler ou não sabe o que diz”. É uma declaração agressiva. No entanto, não sei se estará longe da verdade. Na entrevista em que menciona o nome de Veloso, Queiroz nunca disse que o Manchester iria avançar para a contratação do trinco dos “leões”. Mencionou-o como um jogador que está nas listas de observações, como um jogador que, caso o United perca seis dos seus actuais jogadores, será equacionado para o clube inglês. Mas como é que isto pode ser considerado “eticamente reprovável” por Soares Franco? Estará ele à espera que a partir de hoje os olheiros dos colossos europeus se limitem a realizar observações no último jogo de cada campeonato? Se Carlos Queiroz dissesse que Miguel Veloso não interessa nem nunca interessará ao Manchester estaria a passar um atestado de incompetência a si e a toda a equipa técnica do clube. Mais ainda, durante a entrevista jogadores do Porto e do Barcelona também foram mencionados. Alguém viu os respectivos presidentes embirrarem por causa disso?

Soares Franco, após o seu clube perder o jogo frente à equipa de Carlos Queiroz, criticou veementemente a declaração pública de que Veloso é observado pelo Manchester e por outros clubes europeus. O adjunto do clube inglês, respondeu de forma agressiva. O Sporting ameaça com um processo judicial. Tudo por declarações que, na minha opinião, só incentivariam o médio “leonino” a jogar cada vez melhor para convencer, finalmente, o clube inglês que não está no futebol só para ser observado, mas para ser considerado uma contratação prioritária.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

TAÇA UEFA: BRAGA EMPATA COM BAYERN




O SPORTING DE BRAGA ARRANCOU UM EMPATE (1-1) FRENTE AO BAYERN. PONTO CONSEGUIDO PODE SER IMPORTANTE.


PATRÍCIA MARTINS


O Braga jogava em casa e fez questão de mostrar isso. Não se intimidou por jogar frente ao maior candidato à vitória da Taça UEFA e entrou no jogo a mandar. Criou a primeira oportunidade de golo, num cabeceamento de Vandinho que assustou Oliver Kahn. O Bayern respondeu aos dez minutos também numa excelente ocasião, num desvio de Klose que saiu pouco ao lado.

Aos 21 minutos o Linz consegue marcar, mas o árbitro anula o golo por suposta falta de Wender. Mais tarde o Sp. Braga esteve perto do golo, num desvio de Linz a um metro da baliza que saiu ao lado e dois remates de Wender que obrigou Kahn a duas excelentes defesas. O Bayern só assustou Paulo Santos num desvio de Lúcio.

Na segunda parte uma desatenção logo no primeiro minuto levou ao golo do Bayern, marcado por Klose. A equipa portuguesa não desanimou e continuou a lutar. Aos 66 minutos Linz deu a resposta e conseguiu empatar o jogo.

Durante o resto da partida o Braga fazia tudo para ganhar, enquanto o Bayern limitava-se a segurar o empate. Uma grande exibição dos bracarenses que somam assim um precioso ponto na luta do grupo F da Taça UEFA. Os adversários que se seguem são Aris Salónica (fora) e Estrela Vermelha (casa).

SP. BRAGA
- Paulo Santos; João Pereira, Paulo Jorge, Rodriguez, Frechaut, Roberto Brum, Stélvio Cruz, Jorginho, Vandinho, Wender, Linz.
Treinador: Manuel Machado.

BAYERN
- Kahn; Lell, Lúcio, Demichelis, Lahm, Hamit Altintop, Van Bommel, Zé Roberto, Ribéry, Toni, Klose.
Treinador: Ottmar Hitzfeld.


FONTES:

RUI ORLANDO EM DISCURSO DIRECTO


ANDRÉ MATOS LEITE


Rui Orlando participou, a passada quarta-feira, num colóquio na Faculdade de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto. O coordenador da Sport TV, que dos seus 35 anos já trabalhou 16 como jornalista, falou da sua carreira profissional, do mercado de trabalho jornalístico, entre outros aspectos relacionados.

“É necessário acelerar o percurso profissional a par do percurso académico porque há pessoas que começam nesta profissão sem fazer o académico”, é a opinião de Rui Orlando que, apesar de considerar essencial o estudo da profissão jornalística, acredita que não é suficiente para assegurar emprego, especialmente tendo em conta o estado actual do mercado de trabalho. Segundo o comentador desportivo, que afirma ter realizado a sua aprendizagem “praticamente em directo”, as “empresas vão ao mercado já quase em desespero”, algo que dificulta bastante a colocação das novas fornadas de técnicos de comunicação.

Durante a hora de duração do seu colóquio, aproveitou ainda para responder às perguntas de alguns participantes. Quando questionado sobre o aliciante no jornalismo, Rui Orlando disse considerar que os aspectos mais importantes são “o prazer intrínseco e o reconhecimento pela actividade”, sendo a segunda impossível de obter no jornalismo especificamente desportivo pela carga emocional que o desporto carrega. O antigo jornalista da RDP e da RTP exemplificou explicando que, enquanto os apresentadores televisivos são mais conhecidos por serem “jornalistas populares”, no desporto os mais conhecidos do país “não são populares, podem ser conhecidos, mas não são queridos”. Acrescentou também que, embora hoje em dia se verifique menos, historicamente o jornalismo desportivo “foi olhado como o jornalismo menor” e que, quando começou a sua actividade profissional na RDP, “quem trabalhava na área do desporto” não era considerado jornalista, mas sim “locutores, animadores ou realizadores”.




RUI ORLANDO: “O JORNALISMO DESPORTIVO PORTUGUÊS CRESCEU E FORTALECEU-SE MUITO BEM”


ANDRÉ MATOS LEITE


Em declarações à Gazeta do Futebol, Rui Orlando revelou que, na sua opinião, o jornalismo desportivo português “é melhor hoje do que era ontem” e está “mais forte”, “mais livre” e “mais competente, genericamente” do que no passado.

Na breve entrevista concedida após o final do seu colóquio realizado na passada quarta-feira, o coordenador do canal televisivo Sport TV disse que, além das normais competências de um jornalista, aqueles que seguem a vertente desportiva necessitam, ainda, de desenvolver uma “grande capacidade de controlo emocional” visto ser uma “área de emoções”. Rui Orlando acrescentou que, no jornalismo, “o consumidor mais bem informado é o consumidor desportivo”, uma consequência da “força do desporto”. Referiu, também, que o “pior que pode acontecer ao jornalista é, no desempenho da sua tarefa, ser confrontado com um conhecimento superior do destinatário da sua mensagem ao que ele próprio tem dos factos que está a narrar” embora, devido à impossibilidade de atingir o conhecimento total, seja normal que possa “acontecer de forma pontual”.

Questionado sobre qual pode ser o momento mais marcante na vida de um jornalista desportivo, Rui Orlando afirmou que pela “curiosidade ou interesse ou gozo” é fácil apontar eventos cuja cobertura seja um “objectivo” profissional. Contudo, revelou que “o grande desafio da profissão não está tanto na dimensão do evento”, mas antes “no desafio que cada facto representa em si próprio”. O coordenador da Sport TV usou como exemplo o jogo Guimarães – Benfica, realizado a 25 de Janeiro de 2004, em que Miklós Fehér caiu inanimado em campo após uma embolia pulmonar que resultou na sua morte, para mostrar como um jogo cuja cobertura “não representava à partida um aliciante muito grande” se tornou num desafio que o levou à “fronteira” da profissão jornalística. Concluiu reiterando que o maior desafio “não tem a ver com o evento em si, tem mais a ver com a natureza da situação” e acrescentou que essas situações acontecem quando menos se espera e que, portanto, é essencial para os jornalistas, especialmente os desportivos, estarem sempre “completamente preparados”.

RICARDO MOSTRA-SE OPTIMISTA EM RELAÇÃO AO BÉTIS



O GUARDA-REDES PORTUGUÊS DO BÉTIS DE SEVILHA EXPLICA AS RAZÕES QUE O LEVARAM A EMBARCAR NESTA AVENTURA E ASSEGURA NÃO ESTAR ARREPENDIDO DA SUA ESCOLHA.


PATRÍCIA MARTINS


A pergunta que todos colocam é simples: O que levou Ricardo a trocar um clube como o Sporting, que está na Liga dos Campeões, pelo Bétis que anda no fundo da tabela espanhola?

Com a simplicidade e descontracção que lhe é característica o número 1 português responde sem hesitações: “Sentir que me fazia falta uma experiência no estrangeiro. É um desafio novo e um prazer poder jogar na liga espanhola. E em termos económicos são valores incomportáveis para a realidade portuguesa”.

Outra razão para abandonar o campeonato português foi o medo de cair na rotina: “Adoro o meu país, mas são sempre as mesmas histórias à volta dos clubes e da minha pessoa e tudo isso vai deixando a sua marca. Depois de tudo pensado em família, achámos que era melhor respirar um ar diferente”.

Ricardo não se mostra desmotivado nem desiludido pelo actual lugar que o Bétis ocupa: “É um projecto ambicioso que tem como objectivo colocar o Bétis no lugar em que merece. Em dois anos queremos estar a lutar pela Liga dos Campeões”.

O guarda-redes faz ainda a comparação com o campeonato português: “Quem não conhece, não tem a verdadeira noção do que é um Bétis. Um dérbi entre o Bétis e o Sevilha tem quase três vezes mais impacto do que um Benfica – Sporting. Em Portugal, o Bétis jogava claramente para o título”.


RICARDO MARAVILHADO COM O APOIO DOS ADEPTOS DO BÉTIS



RICARDO CONSIDERA O APOIO DOS ADEPTOS MUITO IMPORTANTE E, POR ISSO, ESTÁ FELIZ COM O AMBIENTE DE APOIO INCONDICIONAL QUE OS ADEPTOS DO BÉTIS TRANSMITEM.


PATRÍCIA MARTINS


O número 13 dos béticos não se retrai quando é para falar do apoio que tem sentido em Espanha: “As pessoas vivem o futebol e o clube com uma enorme paixão. Estão sempre lá com uma palavra de apoio mesmo quando estamos menos bem ou temos um jogo pior”.

Em termos pessoais as coisas têm-lhe corrido bem. Apesar dos maus resultados do Bétis, Ricardo tem feito boas exibições. Contudo, coloca a equipa à frente de si próprio: “Trocava todos os elogios que me têm feito desde o princípio do campeonato por vitórias para a minha equipa”.

Costuma-se dizer que quantidade não é necessariamente qualidade, mas no que se refere aos adeptos do Bétis Ricardo tem a certeza de existirem as duas coisas: “O estádio está em obras, tem 56 mil lugares, e está cheio em todos os jogos. Quando estiver pronto leva 75 mil e não vai chegar para todas as pessoas que têm”. Nos jogos fora o apoio mantém-se: “Onde quer que vá jogar o Bétis, o aeroporto está cheio de pessoas para apoiar”.

A comparação com os portugueses impõe-se: “ É um ambiente diferente. Aqui cria-se um clima mais de pessimismo e insulto. Quando as coisas não estão bem, querem que seja ainda pior. Lá não, é o contrário. Um clube em Portugal que estivesse na posição do Bétis, levava poucas pessoas ao estádio e as que iam era só para insultar. Lá, as cadeiras não chegam. Entro e parece que estamos a jogar para sermos campeões”.


VIT. GUIMARÃES: QUALIFICAÇÃO PARA A UEFA NÃO É OBSESSÃO

Emílio Macedo, Presidente do Vit. Guimarães


JOSÉ PEDRO PINTO



O Vit. Guimarães não está obcecado com a qualificação para a Taça UEFA. É esta a ideia transmitida por Emílio Macedo, presidente da turma vimaranense, em entrevista à Gazeta do Futebol. A equipa treinada por Manuel Cajuda tem vindo a realizar um campeonato acima das expectativas da própria direcção, mas Emílio Macedo afirma que o objectivo principal passa por estabilizar o Vit. Guimarães no plano desportivo e financeiro e não uma eventual candidatura às competições europeias.


Emílio Macedo confessa que não está surpreendido com a actual campanha da sua equipa mas também relembra que o Vit. Guimarães regressou esta época ao principal escalão do futebol português e que o primeiro objectivo passa por equilibrar a parte desportiva e financeira do clube: “Não me surpreende nada o Vitória estar a fazer o bom campeonato que vem fazendo, acima das expectativas que preconizámos no início da época, mas também não podemos esquecer que, no ano passado, jogámos na Liga de Honra. Felizmente subimos, mas em relação a jogarmos para a UEFA é uma coisa com que não estamos minimamente obcecados. A minha verdadeira obsessão passa por estabilizar o clube na Liga Portuguesa e equilibrá-lo a nível financeiro". No entanto, o Presidente do Vit. Guimarães não descarta uma possível ida à Europa do futebol. “Se tivermos a possibilidade de nos qualificarmos para as competições europeias, encararei isso com naturalidade”.


Já no que diz respeito a reforços, Emílio Macedo mantém um contacto diário com a equipa técnica no sentido de delinear quais os sectores a reforçar já na reabertura do mercado, em Janeiro: “Conversamos diariamente com a equipa técnica no sentido de ver em que sector do plantel será necessário uma ou outra contratação, mas é evidente que nos podemos vir a reforçar com duas ou três mais-valias. Estamos atentos e com certeza que em Janeiro iremos intensificar as nossas reuniões para ver este ou aquele jogador que nos possa interessar e que possa reforçar o plantel”.



EMÍLIO MACEDO: “O PASSIVO DO CLUBE PODE ACABAR JÁ NESTE MANDATO”


EMÍLIO MACEDO: “O PASSIVO DO CLUBE PODE ACABAR JÁ NESTE MANDATO”

Emílio Macedo, Presidente do Vit. Guimarães


JOSÉ PEDRO PINTO



Emílio Macedo, Presidente do Vit. Guimarães, afirma que o passivo do clube minhoto pode acabar ainda neste mandato. A situação, herdada das direcções anteriores, não é fácil, pelo que o líder vimaranense delineou um rigoroso plano de controlo sobre o actual orçamento. Na opinião de Macedo, há margem de manobra suficiente para equilibrar as contas do clube.

O Presidente do Vit. Guimarães diz que o plano que tem em mente para o tal equilíbrio financeiro assenta em acabar de vez com o passivo: “Nestes 3 anos de mandato que ainda nos falta cumprir, poderemos, de uma forma rigorosa, diminuir ou quase acabar com esse mesmo passivo, que, como é do domínio público, ronda actualmente os 10-11 milhões de Euros. Sendo rigorosos no orçamento que fizemos e que iremos cumprir, penso que, neste mandato, estamos à vontade para equilibrar as contas e parte financeira do Vitória”.

Macedo acrescentou que é necessário, ainda no capítulo financeiro, conjugar os sucessos financeiros com os desportivos, pois explica que “se a parte desportiva não correr tão bem como era perspectivado, mas a parte financeira tiver sucesso, alguma coisa está mal no clube. Tem que haver uma conjugação entre as duas partes, já que estão inseridas num mesmo projecto e não podem evoluir separadamente. É esse cenário de equilíbrio que nos propomos atingir”.

No entanto, e ainda no que diz respeito ao passivo do clube, Emílio Macedo realça o facto de este tipo de problemas não ser exclusivo do Vit. Guimarães. “É evidente que isto é um problema de todos os clubes e nós não fugimos à regra”, afirma Macedo.

O líder vimaranense falou ainda sobre a actual situação do clube em termos de associados, estando esperançado de que se possa atingir a fasquia dos 30.000 até ao final deste ano. “Tenho quase a certeza de que podemos chegar ao número 30.000 em termos de associados, o que é muito importante e o que vem demonstrar a grandeza do Vitória”, diz Macedo.

QUINZE MINUTOS FATAIS


O F.C. PORTO ACABOU POR SAIR DE ANFIELD VERGADO POR 4-1. O RESULTADO ACABA POR SER EXAGERADO POIS OS CAMPEÕES NACIONAIS FIZERAM ATÉ UMA AGRADÁVEL EXIBIÇÃO. OS ÚLTIMOS QUINZE MINUTOS FORAM FATAIS.


PEDRO ROCHA


O F.C. Porto encarou a partida de uma forma tranquila e sem grandes preocupações. Assim se percebe que Jesualdo tenha deixado Tarik e R.Meireles no banco em detrimento de M.Gonzalez e Kaz. O Liverpool entrou forte, a pressionar a todo o campo e procurando empurrar os dragões para a sua área. No entanto o Porto conseguia sair várias vezes da pressão e ter o controlo do jogo, faltando acutilância nos últimos trinta metros. Aos 19 minutos na sequência de um canto F.Torres aproveitou um escorregão de L.Gonzalez e inaugurou o marcador. O F.C. Porto respondeu bem, avançando no terreno em busca do golo. Aos 33 minutos , Kaz cruza na esquerda e Lisandro em voo cabeceia de forma indefensável para Reyna. O Liverpool abanou com o golo e os portistas minutos depois tiveram nova oportunidade com Lisandro desta vez a falhar após um passe fantástico de Lucho. Até ao intervalo o Porto dominou sem criar mais nenhuma oportunidade de perigo.

No segundo tempo os pupilos de Jesualdo entraram bem e continuaram a controlar a partida. Os reds com um futebol directo e sem profundidade detinha todas as esperanças nas suas individualidades. Contudo com as alterações de R.Benitez os ingleses cresceram na partida e a partir do minuto 70 encostaram os portistas na sua defesa e protagonizaram vários lances de perigo. Aos 78 minutos, F.Torres, após falha de Stepanov ( noite terrivel para o central), bisa na partida e tranquiliza os adeptos da casa. Aos 83 Stepanov comete uma grande penalidade infantil que Gerrard converte. Finalmente, aos 87´, Crouch após canto da direita cabeceia para o 4-1 final, golo que parece nascer de uma falta sobre Helton na pequena área dos portistas. Resultado pesado para o Porto que mesmo assim conserva o 1º lugar isolado do grupo. Na última jornada basta o empate frente ao Besiktas para a equipa seguir em frente rumo aos oitavos de final.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

MILAN PASSIVO MAS BENFICA SÓ CONSEGUE EMPATE


ANDRÉ MATOS LEITE


O Benfica empatou na Luz contra o AC Milan a uma bola. Com este resultado e com a vitória do Celtic sobre o Shakhtar os “encarnados” ficam definitivamente eliminados da Liga dos Campeões, restando a possibilidade de irem à Taça UEFA caso vençam o clube ucraniano na última jornada da “Champions”.

Os italianos começaram melhor a partida e conseguiram inaugurar o marcador por intermédio de Pirlo aos 10 minutos. A partir daqui, o Milan adormeceu tanto por culpa própria (passou a defender mais), como por culpa do Benfica que passou a jogar melhor e a realizar uma forte pressão que lhe valeu muitas recuperações de bola a meio-campo. No entanto, tal como nos outros jogos europeus, as “águias” remataram muito, mas concretizaram pouco. A excepção foi o golo conseguido, aos 20 minutos, por Maxi Pereira que igualou o marcador.

No tempo complementar, o Milan começou com duas substituições, uma das quais por lesão, e o Benfica continuou a controlar o jogo. Ao clube italiano continuou a valer a falta de eficácia dos “encarnados” que nem com as entradas de Cardozo, Di María e Adu conseguiram ganhar vantagem no marcador.


Fontes

SPORTING E RUI PATRÍCIO QUEREM RENOVAÇÃO


ANDRÉ MATOS LEITE


Parece certo que Rui Patrício vai renovar contrato com o Sporting. Ambas as partes estão interessadas na extensão do vínculo e o clube de Alvalade já terá mesmo apresentado uma proposta de renovação. O jovem guardião estreou-se ontem, com apenas 19 anos, na Liga dos Campeões alinhando no “onze” inicial em virtude da lesão de Stojkovic e das más exibições de Tiago.

O novo contrato, se for aceite por Rui Patrício, estenderá a sua ligação aos “leões” até 2011 ou 2013. Além disso, o seu vencimento (um dos mais baixos do plantel) será revisto.

Rui Patrício é o actual titular da baliza da selecção nacional de sub-19, tendo sido o dono das redes nacionais durante o último Mndial de sub-20 do Canadá e já foi chamado pelo seleccionador de sub-21, Rui Caçador, para ajudar a equipa a qualificar-se para o Euro 2009 da categoria.


FONTES

MOURINHO E A SELECÇÃO INGLESA: “VENHAM-ME BUSCAR”



MOURINHO MOSTRA-SE DISPONÍVEL PARA CONVERSAR COM A FEDERAÇÃO INGLESA SOBRE O POSSIBILIDADE DE OCUPAR O CARGO DE SELECCIONADOR DA INGLATERRA.


PATRÍCIA MARTINS



Segundo a imprensa britânica, o português José Mourinho deixou uma mensagem à Federação Inglesa, no sentido de o abordarem para ser o novo seleccionador inglês.

Mourinho mostra-se disponível e lança um desafio aos responsáveis Ingleses: "Venham-me buscar. É preciso esperar para ver, mas não ponho a situação de lado."

Apesar da saída do Chelsea, o técnico português continua a ser uma figura de respeito entre os adeptos ingleses e será um forte candidato para suceder a Steve McLaren e conduzir a Inglaterra durante a fase de qualificação para o Mundial-2010.


FONTES

terça-feira, 27 de novembro de 2007

LIGA DOS CAMPEÕES: SPORTING PERDE MAS GARANTE TAÇA UEFA



O SPORTING VOLTOU A CAIR AOS PÉS DO MANCHESTER UNITED, E, MAIS UMA VEZ, RONALDO FOI DECISIVO. OS «LEÕES» ATÉ MARCARAM PRIMEIRO, MAS NA 2ª PARTE, OS INGLESES CARREGARAM NO ACELERADOR E VIRARAM O RESULTADO. AINDA ASSIM, O SPORTING VÊ GARANTIDO O APURAMENTO PARA A TAÇA UEFA.




JOSÉ PEDRO PINTO





O Sporting voltou a perder para a Liga dos Campeões, escorregando, desta feita, perante o Man. United, e vê assim afastadas quaisquer hipóteses de se qualificar para a próxima fase da prova. O «teatro dos sonhos» mais pareceu um pesadelo para a equipa de Paulo Bento, que até marcou primeiro, permitindo, na 2ª Metade a reviravolta da equipa de Queiroz, Ronaldo, Nani e Anderson. No entanto, o Sporting garantiu, nesta penúltima jornada do Grupo F, o apuramento para a Taça UEFA, mercê da derrota do D. Kiev frente à AS Roma.


A equipa leonina foi a melhor em campo durante toda a 1ª Parte. Exibindo-se a um bom nível, jogando com vontade e disputando de forma aguerrida a linha média do terreno contra jogadores como Carrick e Anderson, o futebol sportinguista revelou-se dinâmico e intenso, tendo o «onze» escalonado por Paulo Bento dominado muito bem as operações e tendo atacado de forma organizada e constante. Imagem disso mesmo acabou por ser o golo do Sporting, aos 21': depois de uma boa troca de bola por parte do meio-campo, Veloso endossou a bola a Abel, na direita e este, fazendo uso do factor surpresa, acabou por desferir um remate portentoso directamente à baliza de Kuszczak que não conseguiu evitar o tento. O Manchester Utd de pronto tentou responder, mas o bom preenchimento de espaços e boa pressão exercidas pelo adversário não permitiam muitas veleidades ao ataque que continha nomes como Ronaldo, Nani ou Saha.


Já na 2ª Parte, tudo seria diferente: os «red devils» entraram dispostos a inverter a má imagem deixada na primeira metade. Ferguson fez entrar Tévez e Giggs e as alterações processadas no sistema do Manchester Utd. cedo deram frutos: passaram a pressionar mais e melhor, de uma forma rápida e desenvolta... até que o golo do empate acabou, sem surpresas, por aparecer. Evra deixou Abel para trás, na esquerda e, com Ronaldo na jogada, Tévez empurrou para o fundo da baliza do desamparado Patrício. Um 1-1 que já era merecido. O Sporting nivelou, depois, a partida, e ainda teve nos pés de Veloso a sua grande oportunidade de toda esta etapa complementar, quando o jovem médio leonino rematou forte, de longe, com o esférico a não passar muito longe da baliza dos «reds». O que é certo é que o Manchester jamais desistiu de somar os três pontos e garantir o 1º lugar do grupo, e mesmo ao cair do pano, teve o seu "canto do cisne": três minutos passavam dos 90' (o árbitro deu 4' de compensação) quando Ronaldo lá tirou mais um coelho da cartola e, de pontapé livre directo, fuzilou Rui Patrício pela última vez na noite. 2-1 foi o resultado final.


A campanha leonina na "Champions" está prestes a chegar ao fim, com a equipa de Bento a não conseguir, uma vez mais, o apuramento para a próxima fase desta competição. Resta o prémio de consolação, a Taça UEFA, numa caminhada feita de apenas uma vitória, um empate e três derrotas. Na próxima jornada, a última do Grupo F, o Sporting recebe, em casa, os ucranianos do D. Kiev com o passaporte para a Taça UEFA já no bolso.



FICHA DE JOGO

LIGA DOS CAMPEÕES - 5.ª JORNADA (GRUPO F)
MANCHESTER UNITED-SPORTING

Estádio Old Trafford, em Manchester
Hora: 19:45
Árbitro: Claus Bo Larsen (Dinamarca)

MANCHESTER UNITED: Kuszczak; O'Shea, Ferdinand, Vidic e Evra; Carrick, Fletcher e Anderson; Cristiano Ronaldo, Saha e Nani.
Suplentes: Van der Sar, Wes Brown, Pique, Simpson, Hargreaves, Giggs e Tévez.
Treinador: Alex Ferguson.


SPORTING: Rui Patrício; Abel, Tonel, Polga e Had; Miguel Veloso, João Moutinho, Romagnoli, Izmailov; Purovic e Liedson.
Suplentes: Tiago, Gladstone, Adrien Silva, Farnerud, Pereirinha, Vukcevic e Páez.
Treinador: Paulo Bento.



F.C. PORTO LIDERA LIGA HÁ 730 DIAS


O F.C. PORTO LIDERA A LIGA HÁ 730 DIAS. DESDE A 12ª JORNADA DA ÉPOCA 2005/2006 QUE A EQUIPA AZUL E BRANCA ASSUMIU O PRIMEIRO LUGAR E NUNCA MAIS O LARGOU.


PEDRO ROCHA


O F.C. Porto está na frente do campeonato desde o dia 28 de Novembro de 2005. Nessa altura ainda treinados por Co Adrianse os portistas derrotaram o Gil Vicente, em Barcelos, por 1-0, golo de L. Gonzalez, e assumiram a liderança da Liga que acabariam por vencer. Nessa jornada o então líder, S.C.Braga, perdeu com a equipa sensação da altura - o Nacional da Madeira. Madeirenses e dragões saltaram para o primeiro lugar em igualdade pontual (27 pontos) mas na jornada seguinte já o F.C. Porto se isolava no topo da Liga.

Pese embora as fases de menor rendimento o F.C. Porto de Co Adrianse segurou o 1º lugar até ao fim e acabou por sagrar-se campeão nacional. Co Adrianse alcancou o seu 1º título como técnico principal.

No Verão de 2006, o treinador holandês, em conflito com Pinto da Costa, acaba por sair. Jesualdo toma conta da equipa em Agosto e alcança quatro vitórias consecutivas e mantém a liderança mesmo depois da derrota em Braga à 5ª jornada. No final da primeira volta os campeões nacionais lideravam a prova com sete pontos de avanço sobre o segundo classificado. Apesar de uma segunda volta irregular os dragões conservaram o primeiro posto e sagraram-se Bi-Campeões nacionais. Jesualdo Ferreira conseguiu, tal como Adrianse, o seu primeiro título.

Esta temporada os portistas entraram em grande na Liga. Sete jogos, sete vitórias voltaram a dar à equipa azul e branca a liderança isolada no campeonato. Depois de dois empates comprometedores os pupilos de Jesualdo regressaram, este Domingo, às vitórias mantendo a distância de quatro pontos para o rival Benfica. Em vésperas de dérby, o F.C. Porto enfrenta-o com a tranquilidade de que qualquer que seja o resultado, os líderes invictos da Liga vão conservar o primeiro posto.

BOAVISTA: ÁLVARO BRAGA JÚNIOR É REFORÇO PARA A DIRECÇÃO



O COMENTADOR DESPORTIVO FOI ONTEM APRESENTADO, NO BESSA, COMO O NOVO ASSESSOR DA PRESIDÊNCIA DE JOAQUIM TEIXEIRA. NO ENTANTO, QUANTO AO FUTURO, ÁLVARO BRAGA JÚNIOR PODE VIR A DESEMPENHAR O CARGO DE DIRECTOR-DESPORTIVO PARA A ÁREA DO FUTEBOL.



JOSÉ PEDRO PINTO



Álvaro Braga Júnior está de regresso ao Boavista. O comentador desportivo aceitou o convite do recém-eleito presidente do clube do Bessa, Joaquim Teixeira, e desempenhará, numa fase inicial, o cargo de assessor da presidência. O novo reforço para a área directiva foi apresentado ao fim da tarde de ontem, tendo já cessado funções de comentador na RTP e Antena 1.


Álvaro Braga Júnior regressa, assim, a uma casa por onde já passou como dirigente desportivo, mas a função de assessoria que exercerá nesta fase inicial pode vir a ser substituída pela de director-desportivo para a área do futebol, assim que João Loureiro - líder da SAD axadrezada, ainda em funções - passe a pasta a Joaquim Teixeira. Acerca desta possibilidade, Teixeira preferiu não se alongar, visto que ainda não é presidente da SAD: “Nunca o poderia apresentar nessas funções, pois não sou presidente da SAD”. Recorde-se que Loureiro passará o «testemunho» (leia-se, liderança da SAD) a Teixeira somente a 14 de Dezembro.


Sobre o regresso, Álvaro Braga Júnior confessa que "jamais poderia recusar este desafio", e realça que as críticas feitas ultimamente ao clube são injustas. "As críticas (ao Boavista) são injustas, pois o clube vivia uma fase em que não era forte”. No que toca às suas funções, o novo elemento da direcção de Joaquim Teixeira pretende "assessorar o Presidente em tudo o que bem entender".


Como dirigente desportivo, Álvaro Braga Júnior desempenhou funções de director executivo no Boavista (em 1991/1992) mas também passou por outros emblemas do futebol português: desde logo, os três grandes (F.C. Porto, Sporting e S.L. Benfica), sem esquecer Farense, Imortal e ainda um cargo de Secretário-Geral na Liga de Clubes.






FONTES

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

BOAVISTA CONQUISTA A PRIMEIRA VITÓRIA



UM BOM JOGO DE FUTEBOL, NO QUAL O BOAVISTA CONSEGUIU A PRIMEIRA VITÓRIA NESTE CAMPEONATO (3-2) DIANTE DO RIVAL VITÓRIA DE GUIMARÃES.



PATRÍCIA MARTINS



Esta noite, no estádio do Bessa, assistiu-se a um bom jogo de futebol, com muita emoção à mistura. A equipa da casa entrou a ganhar logo ao 2 minutos de jogo, um livre marcado por Jorge Ribeiro e Fary a cabecear para o golo. De ressaltar a coincidência do avançado senegalês ter voltado aos golos, precisamente dois anos depois do último que marcou na primeira liga portuguesa.


O jogo era bem disputado pelas duas equipas, quando aos 13 minutos surge o segundo golo dos axadrezados, desta vez marcado por Radanovic na própria baliza e após mais um livre executado por Jorge Ribeiro.


A partir daqui o Boavista recuou um bocado e abriu espaços para que o Guimarães conseguisse chegar ao golo através de Felipe (29 minutos), que tinha entrado há poucos minutos e aproveitou da melhor maneira um canto.Foi uma boa primeira parte, onde se viram duas equipas empenhadas em jogar para ganhar.

Na segunda metade do jogo o Boavista não estava a conseguir ter posse de bola para se organizar no terreno. O ataque era frágil, uma vez que tinha poucos homens na frente. Apesar da clara sobreposição do Guimarães, as oportunidades de golo dividiam-me e sentia-se que o golo podia surgir em qualquer uma das balizas.

Aos 67 minutos, o Guimarães consegue empatar, através de Targino que tinha entrado para substituir Fajardo.

O golo da vitória para as panteras chega aos 80 minutos. Ricardo Silva marcou e, mais uma vez, o livre foi marcado por Jorge Ribeiro.

Um jogo de grandes emoções, disputado por dois clubes que têm uma enorme rivalidade. Um espectáculo que valeu a pena ver, apesar do pouco público que estava no Bessa.



FICHA DE JOGO


BWIN LIGA, 11.ª JORNADA
Estádio do Bessa, no Porto
Hora: 19:45
Árbitro: Lucílio Baptista (Setúbal)


BOAVISTA
: Jehle; Rissutt, Ricardo Silva, Marcelão e Bruno Pinheiro; Diakité, Fleurival e Jorge Ribeiro; Mateus, Fary e Grzelak.
Suplentes: Carlos, Olufemi, Laionel, Edgar, Gajic, Gilberto e Bangoura.
Treinador: Jaime Pacheco.


V. GUIMARÃES
: Nilson; Andrezinho, Radanovic, Geromel e Luciano Amaral; Flávio Meireles, João Alves e Fajardo; Alan, Ghilas e Desmarets.
Suplentes: Serginho, Márcio Martins, Carlitos, Targino, Felipe, Moreno e Rabiola.
Treinador: Manuel Cajuda.

domingo, 25 de novembro de 2007

F.C. PORTO VENCE E CONVENCE



O F.C. PORTO REGRESSOU ESTA NOITE ÀS VITÓRIAS NA LIGA. UMA EXIBIÇÃO BEM CONSEGUIDA DOS CAMPEÕES NACIONAIS QUE VENCERAM SEM CONTESTAÇÃO UM SETÚBAL BEM ORGANIZADO.



PEDRO ROCHA



O F.C. Porto conseguiu vencer tranquilamente o V.Setúbal em casa por 2-o. Num jogo agradável os campeões nacionais acabaram por conseguir impor o seu futebol face a um Setúbal confiante mas que não conseguiu criar oportunidades de golo. O actual líder do campeonato mantêm assim a distância de quatro pontos para o S.L. Benfica. O Setúbal pese embora a quebra da invencibilidade conservou o quinto lugar na tabela.

O F.C. Porto depois de dois empates comprometedores voltou às vitórias e às boas exibições. Os azuis e brancos entraram determinados a vencer e adiantaram-se no marcador logo aos 5 minutos pelo inevitável Lisandro Lopez após excelente jogada de Lucho. Esperava-se a reacção do Vitória mas os dragões a pressionarem muito bem no miolo do terreno mantiveram o domínio. As melhores ocasiões surgiram para o F.C. Porto sem que, no entanto, surgisse o segundo golo.

O segundo tempo manteve-se na mesma toada ofensiva dos portistas sem que golo do descanso aparecesse. O Setúbal comecou a acreditar e teve mesmo um remate perigoso por Pitbull(53min.). Aos 70minutos jogada duvidosa na área sadina com Robson a derrubar Lisandro com Carlos Xistra a nada assinalar. Aos 85minutos Quaresma acabou com a resistência dos sadinos e num remate de fora de área estabeleceu o resultado final.

Com o jogo decidido Jesualdo teve ainda tempo para lançar Farias e Kaz fazendo descansar R. Meireles e P.Assunção, a pensar já no jogo de quarta-feira frente ao Liverpool. Com este resultado os dragões podem ir mais descansados à Luz pois seja qual for o resultado voltará à Invicta na liderança.

Estádio do Dragão, no Porto
Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco)

FC PORTO – Helton; Bosingwa, Pedro Emanuel, Bruno Alves e Marek Cech; Lucho Gonzalez, Paulo Assunção (Kazmierczak, 86 m) e Raul Meireles (Farías, 86 m); Tarik Sektioui (Mariano Gonzalez, 63 m), Lisandro Lopez e Ricardo Quaresma.

V. SETÚBAL – Eduardo; Janício, Auri, Robson e Adalto; Elias (Filipe Gonçalves, 79 m), Sandro e Ricardo Chaves; Paulinho (Edinho, 46 m), Cláudio Pitbull e Matheus (Bruno Gama, 62 m).


Ao intervalo, 1-0Golos: 1-0, Lisandro Lopez (5 m); 2-0, Ricardo Quaresma (85 m).

Resultado final: 2-0

Cartão amarelo a Cláudio Pitbull, Bosingwa, Paulo Assunção, Janício, Adalto, Pedro Emanuel e Raul Meireles.

MUNDIAL 2010: PORTUGAL ENFRENTA SUÉCIA E DINAMARCA


ANDRÉ MATOS LEITE


O sorteio dos grupos para a fase de apuramento para o Mundial de 2010 da África do Sul realizou-se esta tarde. Portugal pertence ao grupo 1 da zona UEFA e terá que passar por Suécia, Dinamarca, Albânia, Malta e Hungria.

Embora a Hungria esteja longe dos seus melhores tempos, as duas selecções acessíveis do grupo parecem ser Albânia e Malta. Já as restantes devem obrigar a equipa das “quinas” a jogar o seu melhor, especialmente as selecções nórdicas.

Luiz Felipe Scolari disse que este é um “grupo equilibrado” que proporciona a Portugal fortes possibilidades de apuramento. “Felipão” apontou, ainda, que o facto de as deslocações a que a selecção nacional será forçada não serem longas é uma vantagem e reconheceu que, ao contrário de outros tempos, tanto a Albânia como Malta podem causar dificuldades à equipa das “quinas” sendo necessário abordar esses jogos “com a mesma determinação e respeito”.

Também Gilberto Madaíl considera que “do ponto de vista logístico, e mesmo financeiro, é um grupo que vai obrigar a muito menos esforços”. O presidente da Federação Portuguesa de Futebol afirmou ainda que as selecções nórdicas estão ao mesmo nível da Sérvia e da Polónia.

Para saber todos os grupos de todos os continentes de qualificação para o Mundial 2010, consulte o site oficial da FIFA.


Fontes

BENFICA VENCE ACADÉMICA JÁ PERTO DO FINAL



O BENFICA LEVOU DE VENCIDA A ACADÉMICA POR 3-1, MAS O RESULTADO É ENGANOR. O JOGO ESTEVE EMPATADO ATÉ AOS MINUTOS FINAIS.

PATRÍCIA MARTINS

O Benfica teve um precalço logo nos minutos inicias, quando Nuno Assis se lesiona num choque com Pavlovic. Depois das coisas se recomporem, as águias apresentavam dois avançados em vez de apenas um como é o habitual. Cardozo jogava ao lado de Nuno Gomes, e Rui Costa sobre a direita, com Binya e Katsouranis no meio. Na equipa da Briosa, a estreia do guarda-redes Ricardo era a maior novidade.

O jogo desenrolava-se de forma bastante equilibrada, sem que nenhuma das equipas fizesse muita pressão. A equipa da casa colocou-se em vantagem aos 24 minutos por Lito, mas os encarnados conseguiram responder ainda na primeira parte e igualaram a partida aos 34 minutos por Rui Costa. Um resultado justo que demonstrava aquilo que se passava no jogo.

Na segunda parte o benfica melhorou um bocado, conseguindo organizar o jogo, mas a Académica foi tentando incomodar. O inesperado golo surgiu aos 86 minutos, graças à inspiração de Luisão, que marcou um golo de calcanhar e acabou por colocar a equipa visitante em vantagem.

Já em tempo de descontos, Freddy Adu fez o resultado final, dando a vitória por 3-1 à equipa da Luz. Suficiente para Camacho encostar a sua equipa ao F.C. Porto, somar a quinta vitória, fugir do Sporting e preparar com tranquilidade o clássico de sábado. Um resultado exagerado.

ACADÉMICA

Ricardo; Nuno Piloto, Litos, Kaká e Pedro Costa; Pavlovic, Paulo Sérgio e N'Doye; Lito e Ivanildo; Vouho

Treinador

Domingos Paciência

BENFICA

Quim; Luís Filipe, Luisão, David Luiz e Léo; Katsouranis, Binya e Rui Costa; Nuno Assis, Nuno Gomes e Di María

Treinador

José Antonio Camacho

FONTES:

Mais Futebol

Record

sábado, 24 de novembro de 2007

BWIN LIGA: SPORTING ESCORREGA NOVAMENTE


1-1 FOI O RESULTADO FINAL EM MATOSINHOS. O SPORTING VOLTOU A PERDER PONTOS E AINDA NÃO FOI DESTA QUE CONSEGUIU REGRESSAR ÀS VITÓRIAS. OS «LEÕES» ATÉ DOMINARAM GRANDE PARTE DO JOGO (MAS TAMBÉM FALHARAM MUITAS OPORTUNIDADES) E O LEIXÕES ACABA POR LEVAR UM PRÉMIO JUSTO PELA BOA GESTÃO QUE FEZ DO RESULTADO.



JOSÉ PEDRO PINTO



Ainda não foi desta que o Sporting deu uma sapatada na crise de resultados que tem vindo a perseguir a equipa nos últimos tempos. Esta noite, os «leões» conseguiram apenas um empate a uma bola em Matosinhos, frente ao Leixões, e a exibição dos comandados de Paulo Bento pecou por uma séria apatia na 1ª Parte e pelas variadíssimas oportunidades desperdiçadas. Do lado do Leixões, valeu a raça e boa gestão de resultado que Carlos Brito potenciou junto da sua equipa.


O Sporting até entrou dominante na partida, trocando bem o esférico e empurrando o adversário para o seu meio-campo, mas as perigosas investidas leixonenses, bem apoiadas no contra-ataque, cedo fizeram estragos nas redes leoninas: aos 14', Abel marcou na própria baliza, depois de uma boa incursão de Jorge Gonçalves e de uma má saída à bola por parte de Rui Patrício, guardião escolhido para a titularidade por Paulo Bento. Os «leões» tentaram responder para inverter o resultado que lhes era desfavorável, mas a forma como o faziam revelava-se algo descabida, mal organizada... e altamente ineficaz. O 4x2x3x1 alinhavado por Bento era bem contraposto por um 4x3x3 apresentado por Brito, pela simples razão de que o meio-campo leixonense se superiorizava, em força, à rapidez de movimentos «verde-e-branca», e as oportunidades para o Sporing eram praticamente inexistentes.


Já para a 2ª Parte, o Sporting regressou com uma outra mentalidade. A colocação de Purovic (entrado ainda na primeira metade) ao lado de Liedson resultou numa maior disputa de bolas pelo ar com a defensiva do Leixões e o próprio meio-campo leonino conseguiu libertar-se do espartilho de ter de jogar muito por dentro com 5 unidades; ao invés, voltou ao losango, e as capacidades de Izmaiolv e Moutinho, por exemplo, vieram ao de cima. O Leixões, esse, limitava-se a gerir, algumas vezes bem, outras mal, o resultado que lhe ia sendo favorável, com recurso, como sempre, ao contra-ataque. O Sporting protagonizou as únicas oportunidades desta metade, com destaque para um golo certo desperdiçado por Gladstone, já na pequena-área, mas só aos 88' Purovic fez balançar a rede. Abel cruzou com conta, peso e medida para a cabeça do montenegrino e este não desperdiçou, colocando justiça no resultado, mesmo ao cair do pano.


Os de Alvalade voltaram, assim, a escorregar na caminhada rumo ao título e podem ver F.C. Porto e S.L. Benfica escaparem ainda mais nas posições cimeiras da tabela classificativa. Os «dragões» jogam amanhã frente ao Vit. Setúbal, enquanto que os «encarnados» jogam a esta hora em Coimbra, frente à Académica.



FICHA DE JOGO


BWIN LIGA, 11.ª JORNADA
Estádio do Mar, em Matosinhos
Hora: 19:15
Árbitro: Paulo Paraty (Porto)



LEIXÕES: Beto, Filipe Oliveira, Nuno Silva, Élvis, Ezequias, Bruno China, Jorge Duarte, Cervantes, Jorge Gonçalves, Roberto, Hugo Morais.
Suplentes: Jorge Batista, Nuno Diogo, Vinicius, Paulo Machado, Nwoko, Vieirinha e Tales.
Treinador: Carlos Brito.


SPORTING: Rui Patrício, Abel, Gladstone, Polga, Ronny, Miguel Veloso, João Moutinho, Izmailov, Vukcevic, Romagnoli, Liedson.
Suplentes: Tiago, Had, Adrien Silva, Farnerud, Pereirinha, Luiz Páez e Purovic.
Treinador: Paulo Bento.



KLINSMANN ADMITE TREINAR INGLATERRA


ANDRÉ MATOS LEITE


Jürgen Klinsmann, antigo jogador e ex-seleccionador alemão, afirmou estar interessado em treinar a Inglaterra caso se verifiquem algumas condições. Franz Beckenbauer diz que esta é uma boa opção para o cargo: “Klinsmann é um homem com ideias claras e que sabe impor-se, mesmo se houver resistência. Teria três anos para preparar a selecção para África do Sul, criando uma equipa totalmente nova”.

Após Steve McClaren ser despedido do cargo de seleccionador inglês, por falhar a qualificação para o Euro 2008, vários foram os rumores de possíveis escolhas para o seu lugar. José Mourinho, treinador que deixou saudades na terra de sua majestade após o despedimento do Chelsea, é um dos que já rejeitou a possibilidade de treinar a Inglaterra e Eládio Paramés, assessor do treinador português, já negou a existência de qualquer contacto entre a Football Association e Mourinho.

Marcelo Lippi é outro dos treinadores que já negou qualquer hipótese de vir a treinar a selecção inglesa. O italiano afirma que sempre recusou propostas inglesas, não por falta de respeito para com a Liga Inglesa, mas por não falar inglês.

Também Luiz Felipe Scolari foi sondado sobre a possibilidade de assumir o cargo. O técnico da selecção portuguesa reiterou a vontade de cumprir o acordo que o liga à equipa das “quinas” até Julho de 2008.

Entre os outros nomes falados encontram-se Bernd Schuster, técnico do Real Madrid, não fez qualquer comentário relativo ao interesse inglês e Alan Shearer, antigo avançado britânico, já se revelou interessado no cargo.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

MUNDIAL 2010: PORTUGAL CABEÇA DE SÉRIE NO SORTEIO



A SELECÇÃO NACIONAL DE FUTEBOL FICOU, HOJE, A SABER QUE VAI SER CABEÇA DE SÉRIE NA ZONA EUROPEIA NO SORTEIO PARA O MUNDIAL, QUE SE REALIZA DOMINGO, EM DURBAN, ÁFRICA DO SUL.


PEDRO ROCHA


Portugal vai ser cabeça de série no próximo sorteio para qualificação do Mundial 2010. De acordo com a FIFA, a selecção portuguesa integrará o pote pote A com a Itália, Espanha, Alemanha, República Checa, França, Portugal, Holanda, Croácia e Grécia. A selecção inglesa estará no pote B depois da derrota de quarta-feira e o consequente afastamento do próximo Europeu.

Os 53 países da zona Euro estarão repartidos por seis potes com base no ranking da fifa de Novembro( em que Portugal está em 8º ). As noves primeiras selecções integram o pote A, as nove seguintes o B, e assim consecutivamente até ao F.

A fase de qualificação não terá novidades. Haverá oito grupos de seis equipas e um grupo de cinco. Os primeiros de cada grupo qualificam-se para o Mundial da África do Sul. Os oito melhores segundos disputam um play-off a duas mãos, dos quais sairão as ultimas quatro vagas para o mundial.

ESTA SEMANA, ESCREVO EU...

ASSOBIAR? NÃO, POR FAVOR.



Nos estádios portugueses os assobios já são imagem de marca. Mais do que uma forma de expressar o descontentamento tornou-se uma banalidade. Até que ponto isso é bom?




PATRÍCIA MARTINS


Numa altura em que muito se falou dos assobios aos jogadores da selecção portuguesa, há que parar para reflectir qual a lógica destes.

Em Portugal adoptou-se o hábito de assobiar por tudo e por nada. Ora é para desestabilizar os adversários, ora é para mostrar descontentamento, ou até mesmo para pressionar positivamente a própria equipa, dizem os adeptos.

Mas será que esse irritante método dá resultado? Na minha humilde opinião, não me parece. Numa altura em que a equipa está mal mas ainda pode mudar as coisas precisa de apoio e não de assobios. Os assobios apenas deixam os jogadores desorientados e se algo está a correr menos bem, ficar ainda pior não é, concerteza, o pretendido.

Quem está no campo quer ganhar. Pelo menos prefiro pensar assim, afinal, vitórias e boas exibições só trazem vantagens aos próprios protagonistas: ganham prestígio, dinheiro e oportunidades únicas. Os adeptos lusos precisam de confiar mais nessa força de vontade e predisposição que os jogadores têm para ganhar.

Grandes formas de contestação têm que ser guardadas para momentos realmente graves e não tornarem-se banais. Mas a tendência para dramatizar já está incutida na sociedade portuguesa e não só no futebol.

Aos adeptos das bancadas peço: Ponderem os assobios, afinal, são extremamente irritantes para todos, incluindo quem está ao vosso lado. Cânticos de apoio e palmas dá melhor resultado, acreditem.

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

BENFICA E ACADÉMICA DEFRONTAM-SE NA TAÇA DE PORTUGAL



O SORTEIO DA QUARTA ELIMINATÓRIA DA TAÇA DE PORTUGAL DITOU O ENCONTRO DE EQUIPAS DA PRIMEIRA LIGA.


PATRÍCIA MARTINS


O Benfica recebe a Académica naquele que é um dos jogos entre equipas da Liga na quarta eliminatória da Taça de Portugal. O outro é o Belenenses-P. Ferreira, segundo ditou o sorteio realizado esta quinta-feira. O Sporting, detentor do troféu, recebe o Louletano, enquanto o F.C. Porto visita o D. Chaves.

Boavista e Marítimo ficaram isentos da ronda que se realiza a 9 de Dezembro, mas terá dois jogos antecipados: o D. Chaves-F.C Porto realiza-se na sexta-feira, dia 7, o Sporting-Louletano na quarta-feira.

Jogos da quarta eliminatória da Taça de Portugal

Sporting-Louletano

Valdevez-Tocha

Lagoa-Santa Clara

D. Chaves-F.C. Porto

Camacha-Sp. Braga

Carregado-Olhanense

Real-D. Aves

Feirense-Lusitânia Açores

E. Amadora-Fátima

U. Leiria-Nelas

Benfica-Académica

Leixões-Torreense

Penafiel-Vizela

Rio Ave-Rebordosa

Anadia-Freamunde

UD Oliveirense-Mondinense A

tlético-V. Guimarães

Nacional-Cova da Piedade

Abrantes-Monsanto

Moreirense-Machico

Messinenses-Gil Vicente

Infesta-Juv. Évora

Operário-V. Setúbal

Belenenses-P. Ferreira

Cerzedelo-Naval

Beira Mar-Torre Moncorvo

Sertanense-Portimonense

Isentos: Boavista e Marítimo

Fontes:

Mais Futebol

INGLATERRA: MCLAREN DESPEDIDO


STEVE MCLAREN FOI DESPEDIDO PELA FEDERAÇÃO INGLESA. A SELECÇÃO DO PAÍS DE SUA-MAJESTADE FALHOU A QUALIFICAÇÃO PARA O EURO 2008, ONTEM, APÓS A DERROTA POR 3-2 FRENTE À CROÁCIA, E O TREINADOR INGLÊS STEVE MCLAREN FICOU SEM CRÉDITO PARA CONTINUAR NO LUGAR.



JOSÉ PEDRO PINTO



Steve Mclaren já não é o seleccionador nacional de Inglaterra. A derrota de ontem à noite por 3-2, em casa, frente à Croácia, e a consequente falha no apuramento para o Euro 2008 levaram a Football Association (F.A.) a terminar o vínculo contratual com Mclaren.


Em relação a possíveis substitutos, vários nomes estão na calha: desde logo o de José Mourinho, treinador que ainda continua a ser apreciado em Inglaterra, mas também Martin O'Neill, técnico do Aston Villa, Sam Allardyce, do Newcastle, e até mesmo o italiano Fabio Capello.



FONTES

AÍ ESTÃO AS 16 SELECÇÕES APURADAS PARA O EURO 2008




JÁ SÃO CONHECIDAS AS 16 EQUIPAS APURADAS PARA O CAMPEONATO EUROPEU 2008 A REALIZAR-SE NA ÁUSTRIA E SUIÇA. NA ÚLTIMA JORNADA UMA GRANDE SURPRESA: A INGLATERRA FICA DE FORA DA MAIOR PROVA CONTINENTAL DE SELECÇÕES.



PEDRO ROCHA


Terminou esta noite a fase de qualificação para o Euro 2008. A grande surpresa acabou por ser a eliminação da Inglaterra que perdeu 3-2, em Wembley, frente a uma Croácia já apurada. A Rússia que venceu em Andorra por 1-0 acabou por conseguir a última vaga de acesso neste equilibrado grupo. Nos restantes grupos tudo normal com as selecções mais fortes na teoria a confirmarem o seu favoritismo.

Aqui fica o quadro das 16 selecções apuradas:
Áustria
e
Suíça ( na qualidade de organizadoras do evento)
Polónia
Portugal
Itália
França
Grécia
Turquia
Roménia
Holanda
Croácia
Rússia
Rep. Checa
Alemanha
Espanha
Suécia

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

PORTUGAL JÁ ESTÁ NO EURO 2008'




A CARAVANA RUMO AO EURO 2008' NÃO PARTIU SEM A SELECÇÃO NACIONAL. UM EMPATE BASTAVA PARA O APURAMENTO, E UM EMPATE CARIMBOU O PASSE DE PORTUGAL PARA O EUROPEU DA SUÍÇA/ÁUSTRIA.


JOSÉ PEDRO PINTO


Foi aos 93' de um jogo emocionante e sofrido do início ao fim que Lubos Michel, árbitro da partida, apitou pela última vez. Portugal está no Euro 2008', depois de um empate a zero contra a Finlândia. O jogo revelou-se de uma dificuldade extrema, pela carga emocional e nervosismo que contagiaram todos os elementos da Selecção Nacional, mas no final, contou o resultado e não a exibição muito pouco brilhante do «onze» escalonado por Scolari. Valeu a capacidade de sofrimento dos jogadores nacionais.

E Portugal até entrou ao ataque, dominando o jogo e trocando bem o esférico no meio-campo adversário. Scolari "inovou", jogando com uma linha média pautada pelo equilíbrio táctico (Veloso+Meira+Maniche) e apostanto em Pepe para formar uma dupla de betão com Bruno Alves no centro da defensiva. No entanto, após os primeiros 15' de jogo o tal nervosismo começou a apoderar-se dos jogadores portugueses: as jogadas de ataque morriam frequentemente à entrada do meio-campo nórdico, e Jääskeläinen, guardião finlândes, pouco ou nada fez em toda a 1ª Parte. Se é certo que o domínio pertencia a Portugal, a Finlândia sempre tentou aproveitar as falhas lusas para se aproximar da baliza de Ricardo. Apenas tentativas infrutíferas, diga-se de passagem...

Já na 2ª Parte, o ritmo aumentou, mas Portugal continuava sem incomodar verdadeiramente as redes finlandesas. A magia de Ronaldo e Quaresma, nas alas, tardava em sair, e Nuno Gomes revelava-se carne muito tenra para os calmeirões que preenchiam os últimos 30 metros do adversário. Scolari mexeu, na tentativa de gerir da melhor maneira o resultado (algo que conseguiu) e meteu em campo Makukula e Meireles para as saídas de Gomes e Maniche. Os finlandeses ainda ameaçaram, com enorme perigo e quase sempre pelos pés de Forssell, mas o resultado chegaria ao fim empatado.

Portugal está, assim, no Euro 2008'. Hoje, escreveu-se o epílogo de uma qualificação atribulada mas que chegou ao fim da melhor maneira para as cores nacionais. Em Junho, Portugal será uma das 16 equipas que disputará a competição na Suíça e Áustria.



FICHA DE JOGO

PORTUGAL-FINLÂNDIA
Estádio do Dragão, no Porto
Hora: 19:45 horas
Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)


PORTUGAL:
Ricardo; Bosingwa, Pepe, Bruno Alves e Caneira; Fernando Meira, Miguel Veloso e Maniche; Ronaldo, Quaresma e Nuno Gomes.
Suplentes: Quim, Simão, Jorge Ribeiro, Abel, Manuel Fernandes, Nani e Makukula.
Treinador: Luiz Felipe Scolari

FINLÂNDIA: Jussi Jääskeläinen; Toni Kallio, Sami Hyypiä, Hannu Tihinen e Petri Pasanen; Tainio, Joonas Kolkka, Markus Heikkinen e Sjölund; Jari Litmanen e Mikael Forssell.
Suplentes: Väyrynen, Jonatan Johansson, Mika Nurmela, Jari Ilola, Shefki Kuqi, Roman Eremenko, Mika Väyrynen e Kuivasto.
Treinador: Roy Hodgson

EURO 2008: PORTUGAL JOGA A QUALIFICAÇÃO


ANDRÉ MATOS LEITE


Portugal joga hoje, no estádio do Dragão, o derradeiro “assalto” na luta pela qualificação para o Euro 2008. A partida vai ser disputada contra a Finlândia, 3ª qualificada do grupo A, e o empate basta para a equipa das “quinas” conseguir o apuramento.

Há já oito anos que a selecção nacional não necessitava de pontuar no último jogo para se qualificar para o Europeu. Foi em 1999 que Portugal se viu obrigado a vencer a Hungria por 3-0 no encontro final do apuramento. Rui Costa, João Pinto e Abel Xavier abriram o caminho ao sonho europeu que foi desfeito pela França na meia-final da competição.

A equipa para o embate de hoje deverá ser a mesma do jogo contra a Arménia, com a excepção do ponta-de-lança Hugo Almeida que está lesionado e deverá ser substituído por Nuno Gomes.


Fontes

RICARDO MOSTRA-SE CONFIANTE NO APURAMENTO DE PORTUGAL PARA O EURO 2008


EM DECLARAÇÕES EXCLUSIVAS À GAZETA DO FUTEBOL, RICARDO ANTECIPOU O DECISIVO ENCONTRO DE HOJE, DISPUTADO NO ESTÁDIO DO DRAGÃO, FRENTE À FINLÂNDIA.



PATRÍCIA MARTINS



Com a aproximação do último jogo de apuramento para o Euro 2008, a Gazeta do Futebol falou com o guarda-redes da equipa das quinas.

Ricardo mostrou-se confiante na vitória: “O jogo que falta vai mexer com todos nós. É um jogo decisivo em que entramos praticamente apurados. Entramos com um empate, entrámos apurados. Temos essa vantagem de poder lutar por dois resultados, enquanto que o nosso adversário só pode lutar por um, pois para se apurar precisa de ganhar.”

O número um conta com o apoio dos adeptos: “Já é uma vantagem acrescida para nós jogarmos no nosso país, em nossa casa com o apoio dos nossos adeptos. Isso tudo tem que ser um factor de motivação para ajudar àquilo que temos que fazer em campo.”

Ricardo mostra-se atento aos pontos fortes do adversário: “Vamos encontrar um adversário que nada tem a perder, em termos de dimensão classificativa está abaixo de Portugal, vem aqui jogar o jogo pelo jogo. Sabemos que vamos encontrar uma equipa muito forte fisicamente, que usa praticamente 75% do seu jogo de bolas pelo ar… Se estiver a chover e o campo estiver rápido vai haver muito confronto físico e nisso eles têm maior poderio”.

Contudo, Portugal tem grandes vantagens: “Nós temos as nossas armas, que são a nossa qualidade técnica, as nossas movimentações, o nosso jogo bem trabalhado, coisa que eles não têm. Por isso estou tranquilo como sempre, ansioso que chegue o jogo, como é normal para cada partida. Estamos todos tranquilos, sabemos que se estivermos ao nosso melhor nível conseguimos levar de vencida a equipa da Finlândia e mais uma vez cumprir esse sonho que todos nós temos de estarmos presentes em mais uma fase final de um europeu”.

Em termos particulares, Ricardo afirma: “Pessoalmente fico super satisfeito por ser, penso eu, o primeiro guarda-redes a estar presente em duas finais mundiais e duas finais europeias.”



terça-feira, 20 de novembro de 2007

EMPATE COMPROMETEDOR



A SELECÇÃO NACIONAL SUB-21 EMPATOU ESTA NOITE, EM ÁGUEDA, A UMA BOLA COM A SUA CONGÉNERE INGLESA. COM ESTE RESULTADO O APURAMENTO PARA O EUROPEU DO PRÓXIMO ANO FICA EM RISCO.



PEDRO ROCHA


Portugal acabou por ceder esta noite um empate que compromete seriamente o apuramento. A selecção nacional entrou bem no jogo e acabou por marcar logo aos 3 minutos por intermédio de Vieirinha, na conversão de uma clara grande penalidade. Após o golo a selecção conseguiu mais alguns lances perigosos.No entanto, a Inglaterra muito bem organizada defensivamente acabou por conseguir controlar a partida e criou mesmo algumas situações de golo - ou em contra-ataques, com Walcott sempre perigoso, ou através de lances de bola parada.

Na segunda-parte a selecção inglesa entrou mais decidida e chegou ao golo logo aos 49minutos por Adam Johnson depois de um lançamento lateral com a defesa portuguesa apática a não cortar o lance. Com o golo, a Inglaterra passou a dominar a partida e teve mesmo mais duas oportunidades para chegar à vantagem. Portugal reagiu na parte final mas os remates de Moutinho e Targino não tiveram a direcção da baliza. O empate serve os interesses ingleses que assim mantêm os 6 pontos de vantagem sobre a selecção nacional(com menos 1 jogo). Resta agora a Portugal vencer os dois jogos que restam. Primeiro em casa frente à Bulgária e depois fora contra a Inglaterra.

Ficha de jogo:

Estádio Municipal em Águeda

Equipas:

Portugal: Ricardo Baptista; Vasco Fernandes, André Coelho, Gonçalo Brandão e Antunes; Paulo Machado, João Moutinho e Pelé (Celestino, 65m); João Moreira (Targino, 46m), Saleiro e Vieirinha (Pereirinha, 76m).

Inglaterra: Joe Hart, Craig Gardner, Steven Taylor (Michael Mancienne, 46), David Wheater, Joe Mattock, Fabrice Muamba, Tom Huddlestone, Lee Cattermole, James Milner, Adam Jonhson e Theo Walcott.

Ao intervalo: 1-0 Marcadores: 1-0, Vieirinha (g.p. 3m); 1-1, Johnson (49m)

Acção disciplinar: cartão amarelo a Taylor, Muamba

Fim da partida: 1-1

SUB-21: MISSÃO CUMPRIDA... É GANHAR


PORTUGAL COMEÇA A JOGAR, A PARTIR DE HOJE, QUATRO CARTADAS FUNDAMENTAIS PARA A QUALIFICAÇÃO PARA O EUROPEU DE SUB-21. A IDEIA FOI TRANSMITIDA PELO SELECCIONADOR DOS JOVENS PORTUGUESES, RUI CAÇADOR, QUE REAFIRMA AINDA A ENORME IMPORTÂNCIA DE VENCER A PODEROSA INGLATERRA.



JOSÉ PEDRO PINTO



É a altura do tudo ou nada. A Selecção Nacional de Sub-21 começa hoje uma nova fase na caminhada para o Europeu de Sub-21 de 2009, em jogo frente à Inglaterra. Rui Caçador, seleccionador da equipa de «Esperanças», classifica a partida como altamente importante para que Portugal possa marcar presença no próximo campeonato europeu da categoria, já que esta é a primeira de quatro finais a ser vencida: "Temos de ganhar. Esta é a primeira de quatro finais. Temos de ganhar pelo menos três, uma das quais à Inglaterra. Mas queremos vencer os quatro jogos e ser primeiros no grupo".

No entanto, a Selecção de Sub-21 apresenta baixas de peso e que podem influenciar o rendimento da equipa em campo. São os casos de Miguel Veloso, Manuel Fernandes e Nani (ao serviço dos «AA») e Manuel da Costa e Vaz Tê, por lesão. Ainda assim, Caçador não coloca qualquer tipo de drama no cenário, visto que "uma equipa com o nosso potencial tem de jogar para ganhar, com este ou sem aquele jogador", afirmou. "Se (a Selecção) perder, tem de o assumir e eu também o farei", concluiu. A confiança mantém-se em alta no seio da equipa, diz Caçador, até porque os ingleses também vêm desfalcados para o jogo de logo à noite (ausências de Nedum Onuoha, Martin Cranie e Mark Noble).


MOUTINHO RECUPERADO, MAS...

O jovem médio do Sporting está recuperado, mas a decisão de o colocar em campo frente à Inglaterra só será tomada a poucas horas do início da partida. Embora o próprio Moutinho já tenha confessado que está "disponível para jogar", Rui Caçador preferiu não confirmar nem desmentir uma eventual utilização do médio leonino, até porque há outros interesses envolvidos. "Uma decisão quanto à sua utilização só terça-feira. Está clinicamente apto e tecnicamente bem, mas só decidiremos depois do gabinete médico da selecção e do Sporting conversarem. Há muitos interesses em jogo: da selecção, do clube e, fundamentalmente, do jogador", afirmou Caçador.



Portugal joga mais logo, às 21h, em Águeda, frente à Inglaterra, uma das partidas cruciais no caminho para o Europeu de Sub-21 de 2009. Os ingleses lideram o Grupo de 3 de qualificação para esta competição, com 15 pontos, e Portugal segue-se, com 9 pontos (mas menos um jogo do que Inglaterra).





FONTES