sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

BWIN LIGA: EMPATE JUSTO NO CLÁSSICO DO MINHO




SP. BRAGA E VIT. GUIMARÃES EMPATARAM A ZERO, ESTA NOITE, NA ABERTURA DA JORNADA 21 DA LIGA PORTUGUESA. UM JOGO EQUILIBRADO MAS SEM GRANDES OPORTUNIDADES PELO QUE O NULO SE AJUSTA.




JOSÉ PEDRO PINTO




O clássico minhoto deu empate. Sp. Braga e Vit. Guimarães empataram 0-0 na partida que abriu a jornada 21 da Bwin Liga, esta noite. Num jogo intenso mas nem sempre bem jogado, a equipa bracarense dominou durante toda a 1ª Parte, mas na etapa complementar, os comandados de Cajuda conseguiram equilibrar as operações.


O Sp. Braga entrou em jogo com mais vontade de vencer o «derby». A equipa de Manuel Machado não complicou e voltou a apoiar o seu jogo nas faixas laterais e conseguiu, com isso, levar muito perigo até às redes de Nilson. Já o Vitória não entrou com o pé direito na partida e sofreu com as incursões ofensivas do adversário. No entanto, poucas oportunidades surgiram durante toda a 1ª Parte, reservando-se as de relativo perigo para o lado dos da casa. De destacar, já em período de descontos, uma grande penalidade que ficou por assinalar contra os vimaranenses, por falta de Sereno sobre João Pereira. Paulo Costa e o seu auxiliar nada indicaram. Erro grave.


Já na 2ª Metade, a partida tornou-se mais emocionante e intensa, embora a qualidade de jogo não abundasse. Os primeiros 20' foram de domínio bracarense, período em que Linz rematou ao poste da baliza de Nilson, mas, a partir daí, o Vit. Guimarães soltou-se mais, abriu o seu meio-campo e conseguiu algumas boas jogadas junto à área adversária. Ainda assim, os golos não apareceram e a partida terminou empatada como havia começado: 0-0.


Com este resultado, o Sp. Braga pode ser alcançado na 9ª posição pelo Boavista, caso a equipa de Jaime Pacheco vença amanhã o F.C. Porto. Já o Vit. Guimarães conquistou mais um ponto para a solidificação do 3º lugar, podendo ver o «derby» lisboeta, no domingo, com alguma tranquilidade.

Na próxima semana, os bracarenses deslocam-se à Madeira, para defrontar o Nacional; os vimaranenses recebem o Sporting, no Afonso Henriques, numa partida que pode ser decisiva para o acesso à pré-eliminatória da Liga dos Campeões.




FICHA DE JOGO
BWIN LIGA - 21.ª JORNADA
Estádio Axa, em Braga
Hora: 20.30
Árbitro: Paulo Costa (Porto)

SP. BRAGA: Kieszek; João Pereira, Paulo Jorge, Rodríguez e Miguelito; Roberto Brum, Contreras e César Peixoto; Zé Manuel, Linz e Wender.
Suplentes: Dani, Frechaut, Carlos Fernandes, Andrés Madrid, Stélvio, Jaílson e Matheus.
Treinador: Manuel Machado.

V. GUIMARÃES: Nilson; Andrezinho, Sereno, Geromel e Desmarets; João Alves e Flávio Meireles; Carlitos, Ghilas e Alan; Mrdakovic.
Suplentes: Nuno Santos, Radanovic, Felipe, Fajardo, Moreno, Momha e Roberto.
Treinador: Manuel Cajuda.



ESTA SEMANA, ESCREVO EU...


O DOMÍNIO DO NORTE



Mas no meio disto tudo, qual é a principal preocupação dos dirigentes de “águias” e “leões”? Pois claro que não é o futebol praticado pelos seus clubes! Afinal não é isso que dá campeonatos! É ter o melhor cartão de sócio do mundo, ou ser o que tem sempre o que dizer quando mais uma notícia sobre a corrupção desportiva surge nos nossos jornais.



ANDRÉ MATOS LEITE



Durante muito tempo, na história do futebol português, Lisboa cantava ano após ano perante a impotência do Norte. Benfica e Sporting distribuíam entre si a maioria dos troféus das diversas épocas. O Benfica foi mesmo o primeiro clube português a conquistar a Taça do Campeões Europeus (actual Liga dos Campeões). O Sporting, com menos sorte fora de portas, mas sempre uma força no nosso país, conquistou o primeiro tetra-campeonato da Primeira Divisão. Eram tempos áureos dos grandes da capital. Tempos em que aquele “clubezito” do Norte tinha que se esfalfar para conseguir qualquer migalha deixada pelo Sul…

Anos passaram e algo se passou. O velho “leão” caiu. De repente, a imponência verde e branca foi sendo substituída pela chama de um rejuvenescido “dragão”. Das Antas soprou um novo vento que colocou, verdadeiramente, o Norte desportivo no mapa. O Porto começou a ser o principal opositor da “águia”, trocaram-se vitórias e “tris” e Taças de Portugal. A “maré azul” recuperava terreno muito lentamente. Mas o “Inferno encarnado” mantinha a sua forte supremacia. Ao contrário do que tudo havia feito acreditar, seria o Norte a relembrar à Europa quem, em Portugal, podia roubar títulos europeus aos grandes de Espanha, Inglaterra, Itália e Alemanha… não seria Alvalade, mas as Antas.

Hoje a situação é completamente contrária à que há tantos anos se viveu. O futebol português é dominado por uma só força… A força do Norte, a força do “Dragão”. Nos últimos anos são Benfica e Sporting que lutam pelas migalhas que o Porto lança aos seus rivais. No entanto, esta época vive-se a menos empolgante luta de que tenho memória. Mesmo com os azuis e brancos a mostrarem-se fortes tinham por hábito cair algumas vezes. Os grandes de Lisboa, por outro lado, tinham menos tendência para tropeçar pelo caminho. Esta temporada, Benfica e Sporting mostram que não merecem o estatuto de grandes.

O Porto leva um confortável avanço para o segundo classificado, o Benfica, clube que sempre se espera seja a principal ameaça a mais um título do clube da Invicta. Doze pontos separam as duas equipas. Do Sporting não há muito a dizer. É neste momento quarto na tabela classificativa após ter perdido a terceira posição para o Vitória de Guimarães. Exibições fracas, algumas mesmo vergonhosas, são as que têm sido conseguidas pelos grandes de Lisboa. Em contrapartida, os “dragões” voam mais alto que todos e, mesmo quando as suas exibições não são as melhores, conseguem manter uma chama que lhes permite levar de vencida os adversários.

Mas no meio disto tudo, qual é a principal preocupação dos dirigentes de “águias” e “leões”? Pois claro que não é o futebol praticado pelos seus clubes! Afinal não é isso que dá campeonatos! É ter o melhor cartão de sócio do mundo, ou ser o que tem sempre o que dizer quando mais uma notícia sobre a corrupção desportiva surge nos nossos jornais. E enquanto isso se mantiver, este cenário negro para a emoção do principal escalão do futebol nacional não vai mudar. Vamos continuar a ver campeão, ainda a meio do campeonato, o suspeito do costume, e não a luta renhida pelo primeiro lugar que tanta paixão pelo desporto-rei desperta… pelo menos quando acontece.


quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

APITO DOURADO: VALENTIM E JOÃO LOUREIRO ACUSADOS DE CORRUPÇÃO


VALENTIM LOUREIRO E O FILHO, JOÃO LOUREIRO, VÃO A JULGAMENTO DEVIDO A ACUSAÇÕES RELACIONADAS COM O JOGO ENTRE O BOAVISTA E O ESTRELA DA AMADORA.


PATRÍCIA MARTINS


Valentim e João Loureiro foram acusados de corrupção activa no processo "Apito Dourado" e vão responder em tribunal. Em causa, está o jogo da 3ª jornada de 2003/2004 entre o Boavista e o Estrela da Amadora.

As acusações foram formalizadas no âmbito de alegadas escutas da Polícia Judiciária de conversas telefónicas de Valentim Loureiro com Júlio Mouco, na altura com responsabilidades na arbitragem, e com Jacinto Paixão. A primeira relacionava-se com a nomeação de árbitros para o Boavista e a segunda com a alegada impossibilidade de Jacinto Paixão favorecer o clube do Bessa.

Aliás, o árbitro Jacinto Paixão e os observadores José Alves e Pinto Correia são também acusados de corrupção passiva neste processo.

João Loureiro sustentou que não exerceu qualquer pressão sobre o árbitro e alegou como prova o resultado desfavorável para os axadrezados, que perderam o jogo por 1-0.

Valentim Loureiro, em conferência realizada esta tarde, afirmou que não falou com o árbitro Jacinto Paixão antes do jogo sobre essa partida e admitiu que posteriormente recebeu um telefonema do juíz.




FONTES




SPORTING vs. S.L. BENFICA: PARATY ARBITRA O CLÁSSICO



O JUIZ INTERNACIONAL, DO PORTO, FOI NOMEADO PELA COMISSÃO DE ARBITRAGEM DA LIGA DE CLUBES PARA DIRIGIR O CLÁSSICO DE LISBOA, DOMINGO, ÀS 20h30m, EM ALVALADE.




JOSÉ PEDRO PINTO




Paulo Paraty é o árbitro do clássico entre Sporting e S.L. Benfica, a ter lugar no próximo domingo, em Alvalade. O juiz portuense foi nomeado, esta quinta-feira, pela Comissão de Arbitragem (CA) da Liga de Clubes. Paraty será ainda acompanhado pelos assistentes José Cardinal e Alexandre Freitas, para além de Rui Costa (4º Árbitro), todos eles da A.F. Porto.


Árbitro internacional e engenheiro de profissão, Paulo Paraty, de 46 anos, apita, esta época, o seu primeiro «derby». Esta temporada, entre partidas da Liga Portuguesa, Liga de Honra e Taça da Liga, esteve presente em 14 jogos, contabilizando 65 amarelos no total, mas sem qualquer cartão vermelho exibido. No que toca a partidas em que tenha encontrado tanto Sporting como S.L. Benfica, Paraty esteve no empate dos «leões» frente ao Leixões (1-1), na goleada imposta pelos «encarnados» ao Boavista (6-1) e ainda na igualdade a uma bola registada entre Vit. Setúbal e S.L. Benfica.


Curiosamente, este pode bem ser o último clássico que Paraty ajuizará na sua carreira, pois terá que abandonar a arbitragem, no final da época, por imperativos de limite de idade.


OUTROS CLÁSSICOS

Entretanto, outro portuense, Paulo Costa, foi o escolhido para dirigir o escaldante encontro entre Sp. Braga e Vit. Guimarães (amanhã à noite), enquanto que sábado, no Bessa, Duarte Gomes arbitra o «derby» da Invicta entre Boavista e F.C. Porto.


Confira,
aqui, na íntegra, as nomeações da CA da Liga de Clubes para a jornada 21 da Liga Portuguesa e Liga de Honra.



quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

TAÇA DE PORTUGAL: NOITE POUCO INSPIRADA DÁ CLÁSSICO NA MEIA-FINAL



PATRÍCIA MARTINS


Estão encontrados, sem grande surpresa nem inspiração, os semi-finalistas desta edição da Taça de Portugal: Vitória de Setúbal, F. C. Porto, Benfica e Sporting vão lutar por um lugar no Jamor.

NAVAL 1-2 V. SETÚBAL

O Vitória de Setúbal foi à Figueira da Foz vencer a Naval e garantiu a estadia na meia-final da Taça de Portugal. Os sadinos ganharam vantagem através de Leandro (59’) num golo polémico antecedido de um fora-de-jogo. A Naval ainda conseguiu empatar o jogo (64’) mas aos 69 minutos Pitbull marcou o segundo e fez do Setúbal a primeira equipa apurada.

F. C. PORTO 1-0 GIL VICENTE

A passagem à fase seguinte esteve complicada para o dragão, muito por força da desinibição que o Gil Vicente demonstrou na sua visita à cidade invicta. O Porto só conseguiu fazer um tento, por Tarik Sektioui ao minuto 22 e passou por alguns sustos.

BENFICA 2-0 MOREIRENSE

O Benfica está nas meias-finais da Taça de Portugal. A tarefa não se afigurou fácil e vencer o Moreirense só foi possível, recorrendo a dois reforços que saltaram do banco. Rui Costa marcou aos 70 minutos e Mantorras dilatou a vantagem bem perto do final (87’).

SPORTING 1-0 E. AMADORA

Mais um jogo fraquinho da equipa de Alvalade. O Sporting conseguiu a vitória já no período de compensação com um golo de sorte, marcado pelo montenegrino Purovic. Sem qualquer ímpeto atacante, os Sportinguistas por pouco não se deixavam arrastar para um prolongamento que podia ser fatal.



FONTES:

EDUARDO DA SILVA JÁ SAIU DO HOSPITAL


ANDRÉ MATOS LEITE


O avançado do Arsenal Eduardo da Silva já recebeu alta médica após ter passado quatro dias internado. O brasileiro naturalizado croata foi operado ao pé esquerdo em consequência de uma dupla fractura do perónio. A lesão foi provocada por uma entrada violenta de Martin Taylor, do Birmingham. O defesa estará suspenso nas próximas três jornadas.

Da Silva, que demorará nove meses a recuperar da lesão, vai ficar com a perna engessada cerca de dois meses e deve começar a correr ao fim de seis. Segundo os médicos, o avançado de 25 anos internacional pela Croácia poderia ter estado em risco de amputar o pé caso tivesse recebido a devida assistência médica mais tarde.


Fontes

CLÁSSICOS DE FIM-DE-SEMANA COM ACOMPANHAMENTO NA GAZETA DO FUTEBOL



SEXTA-FEIRA: Sp. Braga vs. Vit. Guimarães. O «derby» minhoto acompanhado por José Pedro Pinto.



SÁBADO: Boavista vs. F.C. Porto. Um embate entre dois clubes da Invicta. Texto de André Matos Leite.



DOMINGO: Sporting vs. S.L. Benfica. O clássico dos rivais de Lisboa com direito a Crónica Gazeta do Futebol, assinada por Pedro Rocha (publicada na noite de domingo).




terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

FALECEU CABRAL FERREIRA



PEDRO ROCHA


O Presidente do Belenenses SAD, Armando José Cabral Ferreira, morreu, na manhã de hoje, vítima de doença prolongada. Cabral Ferreira, de 56 anos, estava internado desde terça-feira no Hospital de Serviços de Assistência Médica e Social dos Bancários do Sul e Ilhas, em Lisboa.

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral d'Os Belenenses Futebol Clube, José Manuel Anes, informou que o corpo está em câmara ardente desde as 19 horas de hoje, na Basílica da Estrela, em Lisboa, sendo que o funeral realizar-se-à, amanhã, às 10 horas, no cemitério do Lumiar.

Cabral Ferreia foi eleito presidente do Belenenses em 2005, sucedendo a Sequeira Nunes, e após um bom trabalho na gestão do clube conseguiu a re-eleição em 2007. No entanto, o caso Meyong acabou por levá-lo a demitir-se do cargo, no dia 17 de Janeiro de 2007. Desde esse momento, os destinos do clube ficaram entregues a José Manuel Anes que por agora coordena a actual Comissão de Gestão.

JESUS MELHOR TREINADOR DE 2007



O PRÉMIO FOI ATRIBUÍDO PELA SOCCEREX, UMA MULTINACIONAL DE MARKETING DE FUTEBOL, QUE CONSIDEROU O TÉCNICO DO BELENENSES COMO O MELHOR DO ANO 2007. A CERIMÓNIA DE ENTREGA REALIZA-SE A 9 DE ABRIL, NO ESTÁDIO DE WEMBLEY, EM LONDRES.



JOSÉ PEDRO PINTO



Jorge Jesus foi considerado o melhor treinador do ano de 2007. O prémio foi atribuído pela SoccerEx, uma multinacional de marketing de futebol, e será entregue ao técnico do Belenenses a 9 de Abril, no Estádio de Wembley, em Londres, aquando da realização do Fórum desta empresa («Soccerex London Forum 2008») que contará com a presença de 1000 treinadores, oriundos de 50 países, para além de múltiplas personalidades do mundo do futebol.


Jorge Jesus sucede, desta forma, ao francês Paul Le Guen, técnico do Paris St. Germain, ao receber o galardão relativo ao ano de 2007, e já reagiu ao sucedido, mostrando-se surpreso. “Sinto-me surpreendido com este reconhecimento do meu trabalho no estrangeiro. Estou orgulhoso e esta distinção tem muito significado para mim”, afirmou Jesus, aproveitando para contar a maneira como recebeu a notícia: "Quando o próprio director da Soccerex me entregou o convite, em mão, após o jogo com o Marítimo, nem dei grande importância porque estava chateado por ter perdido. Só depois é que me fui apercebendo da relevância deste prémio". O treinador do Belenenses dedicou ainda o prémio a todos os "jogadores e colaboradores na equipa técnica" dos «azuis» do Restelo, e confessou a sua vontade de chegar, um dia, a um dos «grandes» do futebol português: "O meu sonho é ganhar títulos em Portugal pois ainda não os ganhei. Passo a passo, espero atingir o nível que penso ser possível, quero chegar ao top em Portugal".


Jorge Fernando Pinheiro de Jesus tem 53 anos e é o actual treinador da formação de Belém. No seu currículo conta ainda com passagens, como técnico, por equipas como Estrela da Amadora, Vit. Setúbal, Vit. Guimarães e U. Leiria.




FONTES




segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

ANÁLISE DA JORNADA 20


A 20ª JORNADA NÃO TROUXE GRANDES ALTERAÇÕES À TABELA CLASSIFICATIVA. F.C.PORTO E BENFICA LIDERAM, SEGUIDOS DO VITÓRIA DE GUIMARÃES QUE RECUPERA O TERCEIRO LUGAR GRAÇAS À DERROTA DO SPORTING NO BONFIM. NOS ÚLTIMOS LUGARES, LEIRIA ESTÁ CADA VEZ MAIS PERTO DA LIGA DE HONRA, ACOMPANHADO PELO PAÇOS DE FERREIRA.


PATRÍCIA MARTINS


V.GUIMARÃES 1-0 NAVAL


Na abertura da jornada 20, o Guimarães fez uma exibição segura que lhe permitiu alcançar de forma tranquila os três pontos frente à Naval. O único golo da partida foi conseguido por Desmarets aos 21 minutos, mas o resultado poderia ser mais dilatado. Com a derrota do Sporting, os vimaranenses estão no terceiro lugar e na luta pela Liga dos Campeões.

E.AMADORA 4-2 U.LEIRIA


O Estrela da Amadora perdia por 2-0 ao intervalo e tudo indicava que o Leiria ia conseguir a primeira vitória em terreno adversário. Mas as coisas não correram como o previsto e logo ao minuto 47 Patrick ao ser expulso mudou o rumo das coisas. No final, o Estrela levou de vencida a União por 4-2. Os leirienses encontram-se em último lugar e a descida parece inevitável.

BELENENSES 1-3 MARÍTIMO


A equipa do Restelo esteve a vencer por 1-0 ao Marítimo, no entanto, a expulsão de Costinha aos 27 minutos e a consequente concretização da grande penalidade, mudou o rumo ao jogo. A inferioridade numérica do Belenenses foi preponderante para que os madeirenses conseguissem terminar a partida com uma vitória por 3-1. Deste modo, o Marítimo tem vantagem sobre os azuis na luta pela UEFA.

F.C.PORTO 3-0 PAÇOS DE FERREIRA


O F.C. Porto conseguiu, sem dificuldade, a vitória por 3-0 no estádio do Dragão. No encontro com o Paços de Ferreira, penúltimo classificado da BwinLiga, brilharam os quatro argentinos do plantel azul e branco: Lisandro, Lucho, Farías e Mariano Gonzalez. Os dragões estão no primeiro lugar, com uma vantagem de 12 pontos sobre o rival Benfica.

NACIONAL 1-0 LEIXÕES


O Nacional da Madeira venceu o Leixões por 1-0, num jogo em que a equipa nortenha teve as melhores oportunidades de chegar à vitória. No entanto, os insulares podem agradecer os três pontos a Juliano Spadacio, que aos 83 minutos marcou o tento, e a Bracalli que manteve a sua baliza inviolável durante toda a partida. A Europa está cada vez mais perto para os madeirenses enquanto que a equipa de Carlos Brito continua sem vencer fora de portas.

V.SETÚBAL 1-0 SPORTING


O Sporting saiu derrotado do Bonfim, com alguma culpa para Rui Patrício que, aos 18 minutos, consentiu o golo a Bruno Ribeiro. A equipa de Alvalade encontra-se na quarta posição, a um ponto do Vitória de Guimarães. O Setúbal subiu ao quinto lugar.

BENFICA 1-1 Sp.Braga


Os encarnados voltaram a perder pontos, ao empatarem (1-1) com o Braga. Os «arsenalistas» colocaram-se em vantagem logo aos cinco minutos, através de Zé Manel e o empate chegou aos 21 minutos, com golo de Luisão O Braga fica na nona posição, com 26 pontos.



A 20ª jornada encerra esta noite, em Coimbra, com o jogo entre a Académica e o Boavista, que tem início às 19:45h.

BENFICA EMPATA E AFASTA-SE MAIS DO “DRAGÃO”



ANDRÉ MATOS LEITE


O Benfica empatou, em casa, com o Sporting de Braga a um golo. Com este resultado e a vitória do Porto, os “dragões” dilataram ainda mais a sua vantagem para o segundo classificado do campeonato.

O começo do encontro viu as “águias” com muita dificuldade para impor o seu jogo perante os avanços da equipa “minhota”. A prova de ouro foi a chegada do primeiro golo do encontro. Aos 5 minutos, César Peixoto remata para uma defesa incompleta de Quim com Zé Manuel a aproveitar para, na recarga, inaugurar o marcador. O Benfica reagiu da melhor forma e começou a pressionar a área do Braga fazendo tremer, especialmente nas bolas paradas, a defesa “arsenalista”. O empate chegou aos 21 minutos. Livre de Rui Costa do lado esquerdo e Luisão cabeceia na área batendo Kieszek. Passados poucos minutos, numa jogada confusa na grande área “encarnada”, o remate de Linz só foi parado por Léo, mas o “alívio” do lateral brasileiro bateu no pé de Katsouranis e, por momentos, pareceu que o Braga faria o 2-1. Quim, no entanto, conseguiu salvar a bola na linha de golo.

Na segunda parte esperava-se que a baliza dos “minhotos” fosse assaltada por uma onda “encarnada”, mas apesar de jogar melhor e de controlar o encontro a equipa da Luz não conseguia traduzir em golos a sua superioridade e as oportunidades eram muito escassas. Camacho fez entrar Sepsi, depois Mantorras e, quase no final, Freddy Adu. Mesmo assim, poucas foram as boas oportunidades de que o Benfica dispôs até ao final da partida, permanecendo o resultado 1-1 até ao final dos 90 minutos.


Fontes

Record

domingo, 24 de fevereiro de 2008

BWIN LIGA: EXIBIÇÃO CALAMITOSA AFUNDA «LEÃO»



COMEÇA A TORNAR-SE A MALAPATA MAIS SÉRIA DO SPORTING, ESTA ÉPOCA: NOVA DERROTA NO BONFIM, AGORA PARA O CAMPEONATO (1-0). OS COMANDADOS DE PAULO BENTO ESTÃO NA 4ª POSIÇÃO... E PARA A SEMANA HÁ «DERBY».



JOSÉ PEDRO PINTO



O Sporting voltou a deslizar fora de portas. A equipa leonina parece não se dar muito bem com o «verde-e-branco» sadino e somou mais uma derrota, no Bonfim, por 1-0, com o único golo da partida a surgir de uma falha comprometedora de Rui Patrício. Incapacidade ofensiva e uma séria apatia explicam muito da exibição e resultado negativo, mas há que dizer ainda que o Vit. Setúbal entrou em jogo com uma atitude positiva e atacante... e isso fez toda diferença.


Bento modificou o genérico inicial, colocando em campo jogadores não-rotinados como Pedro Silva ou o mal-amado Farnerud e ainda apostou no montenegrino Purovic. Já Carvalhal manteve-se fiel ao seu modelo de jogo e aos jogadores que habitualmente costumam jogar e foi mais feliz. Ainda assim, até foram os «leões» a entrar melhor na partida. Logo aos 4', Tonel viu ser-lhe anulado um golo limpo por parte do assistente de Olegário Benquerença. No entanto, a melhor entrada dos vitorianos do Sado permitia-lhes um controlo tranquilo do jogo, com incursões ofensivas bem mais perigosas do que as protagonizadas pela equipa de Bento. Numa dessas investidas, o golo setubalense lá surgiu, aos 18': Bruno Ribeiro ganhou a bola no duelo com Veloso e, à entrada da grande-área, desferiu um remate potente. Patrício, entre os postes, e com a bola a sair à sua figura, comprometeu e largou a bola para lá da linha de golo. 1-0. O Sporting tentou responder, de pronto, mas a arte e engenho da turma leonina não era suficiente para ameaçar sequer as redes de Eduardo. Pouca posse de bola e fraca capacidade de rematar à baliza, aliadas a uma desunião colectiva completavam a má exibição dos «leões» que chegaram ao intervalo a perder de forma justa.


Já na 2ª Metade, os de Alvalade tentaram eliminar o prejuízo. Bento apostou em Celsinho e Tiuí (cada qual mais apagado...) e recuou Pereirinha para defesa-direito, mas nem assim a equipa tinha vontade e/ou motivação para atacar o resultado desfavorável. Com a sua linha defensiva muito recuada, o Sporting permitia rápidos contra-ataques do Vitória e raramente conseguiu construir jogadas de perigo nos últimos 30 metros do adversário que, diga-se de passagem, soube gerir bem o jogo a começar numa boa consistência defensiva. Só nos últimos 10' da partida os «leões» tiveram oportunidades CLARAS para facturar (!) com Liedson e Moutinho a permitirem a Eduardo brilhar entre os postes. Mas o resultado, esse, manter-se-ia desfavorável para o Sporting até ao último apito de Benquerença.


Com mais uma derrota, o Sporting não conseguiu recuperar o 3º lugar, onde ainda se mantém o Vit. Guimarães (com mais um ponto do que os «leões») e, mais do que isso, pode ainda entrar no «derby» da próxima semana, frente ao S.L. Benfica, com uma desvantagem pontual considerável face ao seu rival lisboeta na luta pelo acesso à Liga dos Campeões.




FICHA DE JOGO

Bwin Liga, 20.ª jornada
Estádio do Bonfim, em Setúbal
Hora: 19.15
Árbitro: Olegário Benquerença (Leiria)


V. SETÚBAL: Eduardo, Janício, Robson, Auri e Jorginho; Bruno Ribeiro, Elias e Ricardo Chaves; Bruno Gama, Filipe e Leandro.
Suplentes: Milojevic, Hugo, Paulinho, Kim e Bruno Severino.
Treinador: Carlos Carvalhal.


SPORTING: Rui Patrício, Pedro Silva, Tonel, Polga e Grimi; Farnerud, Miguel Veloso e Pereirinha; João Moutinho, Liedson e Purovic.
Suplentes: Stojkovic, Gladstone, Ronny, Celsinho, Adrien, Romagnoli e Tiuí.
Treinador: Paulo Bento.






sábado, 23 de fevereiro de 2008

LISANDRO NÃO DORME


O PORTO DERROTOU O PAÇOS DE FERREIRA POR 3-0. NUMA NOITE TRANQUILA, NO ESTÁDIO DO DRAGÃO, OS PORTISTAS CONSEGUIRAM MAIS UMA VITÓRIA RUMO AO TÍTULO. O PAÇOS ATÉ ENTROU BEM MAS LISANDRO VOLTOU A FAZER DAS SUAS.


PEDRO ROCHA


O Porto venceu, esta noite, o Paços de Ferreira. Os portistas fizeram uma boa partida apesar da boa réplica dada pelos homens de José Mota. O Paços foi até ao primeiro golo uma equipa bastante organizada a defender, sem, no entanto, chegar com perigo à baliza de Helton.

Na primeira metade, o Porto, com Tarik no lugar de Quaresma e com o regresso de Bosingwa, entrou bem no jogo e a desenhar jogadas de belo efeito a que Peçanha respondia com boas intervenções. O Paços conseguiu adiar o golo por muito tempo. Quando já se esperava pelo intervalo, o Porto conseguiu o procurado golo. Mais uma jogada de Lucho que coloca a bola em Lisandro que bate Peçanha pela primeira vez. Conseguido o golo em tempo precioso, o Porto foi para o balneário mais tranquilo, enquanto que se esperava um Paços mais agressivo ofensivamente na segunda parte.

Porém, o segundo tempo comecou com um Porto mais forte, mais rápido e com uma pressão alta eficaz. A defesa em linha de Mota, que na primeira parte tinha conseguido algum sucesso, foi totalmente desmanchada pelas desmarcações portistas. Foi sem surpresa que os dragões chegaram ao segundo golo e novamente por Lisandro (e vão 18), desta vez a passe de Farías. Com o segundo golo o jogo ficou decidido. A partir daí, a partida caminhou lentamente até ao final, com o Porto sempre em velocidade e a criar várias oportunidades de golo, desperdiçadas pelos avançados azuis e brancos. Aos 91min., momento alto da noite com Mariano Gonzalez a assinar o seu primeiro golo pelo Porto (a passe de Lucho) e a levar uma grande ovação de todo o banco portista que se levantou para comemorar este feito com o argentino. 3-0 Porto, vitória tranquila ao som do célebre tango argentino do Dragão.

Ficha de jogo:
Estádio do Dragão
Árbitro: Paulo Costa (AF Porto).

FC Porto: Helton, Bosingwa, Bruno Alves, Pedro Emanuel, Marek Cech, Paulo Assunção, Lucho, Raúl Meireles (Mariano Gonzalez, 77m), Tarik (Kazmierczak, 87m) Farias e Lisandro (Hélder Barbosa, 79m).

Suplentes: Nuno, João Paulo, Fucile, e Adriano.

Treinador: Jesualdo Ferreira.

P. Ferreira: Peçanha, Mangualde, Rovérsio, Kiko, Ferreira, Paulo Sousa, Filipe Anunciação, Pedrinha (Dedé, 54 m), Wesley (Renato Queiroz, 76m), Edson (Furtado, 66m) e Cristiano.

Suplentes: Coelho, Tiago Valente, Fábio Paim e William Artur.

Treinador: José Mota.

Disciplina: Cartões amarelos para Kiko (50m), Filipe Anunciação (66m) e Paulo Sousa (86m).Golos: Lisandro (45 e 50m) e Mariano Gonzalez (90+1m).
Ao intervalo: 1-0.

EDITORIAL


JOKANOVIC: DAR O EXEMPLO




Jokanovic não soube dar o exemplo de serenidade e calma que o plantel que lidera (e qualquer plantel) necessita para obter bons resultados.




É comum dizer-se, no meio futebolístico, que o exemplo deve vir de cima. O treinador de um plantel, como seu líder máximo e decisor, deve ser o garante da ordem e do apaziguamento de ânimos mais exacerbados que os seus atletas possam ter. Infelizmente, nem todos partilham dessa qualidade, em Portugal.

Como compreender a atitude de um profissional como Jokanovic, no final do encontro entre Nacional da Madeira e Vit. Guimarães? Impossível. O treinador sérvio até poderia ter a maior das razões para chegar a «vias de facto» com Manuel Cajuda, mas o cargo que exerce, por si só, deveria nele ter feito luz e chamado à razão para controlar o ímpeto agressivo que dele se apoderou quando o árbitro da partida apitou pela última vez naquela tarde de domingo.

Jokanovic deixou de ser profissional naqueles breves segundos em que correu de um meio-campo para o outro, na tentativa de esclarecer alguns pontos de contraste com o seu colega de profissão. Mais: Jokanovic não soube dar o exemplo de serenidade e calma que o plantel que lidera (e qualquer plantel) necessita para obter bons resultados.

O Regulamento Disciplinar da Liga de Clubes prevê, para estes casos, uma pena que pode ir dos já largos 3 meses aos 3 anos de suspensão. Se houver bom senso e fair-play de todas as partes (Jokanovic+Cajuda+Clubes+ Comissão Disciplinar), um simples pedido de desculpas bastará para esquecer todo o triste episódio que ocorreu.

Os 45 dias de suspensão provisória já estão atribuídos. Espera-se que todos se entendam e que mais uma «Guerra Fria» não nasça neste futebol português já cheio de conflitos latentes.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

JOÃO PINTO RESCINDE COM BRAGA



ANDRÉ MATOS LEITE


João Vieira Pinto rescindiu contrato com o Sporting de Braga por mútuo acordo. O jogador deslocou-se recentemente aos Estados Unidos para negociar uma proposta do FC Toronto, clube canadiano que alinha na Liga Norte-americana.

Com quase 20 anos de carreira profissional, o jogador português volta a apostar numa liga estrangeira, após uma passagem menos feliz pelo Atlético de Madrid em 1990. O avançado, ex-internacional, formou-se no Boavista, foi uma das estrelas na vitória de Portugal no Campeonato Mundial de Futebol Sub 20 em Riade, em1989, e foi campeão nacional em 1993/94 pelo Benfica.

Segundo um comunicado oficial disponível no site do Braga, João Pinto decidiu pedir a rescisão do seu contrato após “uma reflexão feita por si acerca do seu futuro” tendo a SAD “compreendido os argumentos evocados pelo jogador”. O jogador despediu-se agradecendo a todos os elementos do clube pela compreensão e pela camaradagem que viveu no agora seu antigo clube.


Fontes

Record

FENÓMENO NÃO PRETENDE RETIRAR-SE



PEDRO ROCHA


Ronaldo quer continuar a jogar futebol. O jogador brasileiro já saiu da clinica, em Paris, na qual foi operado ao tendão rotuliano do joelho esquerdo. O Fenómeno lesionou-se a semana passada num jogo frente ao Livorno e à saída da clinica onde foi operado, afirmou o que já se especulava "o meu coração diz que tenho de voltar a jogar, só que o meu corpo deu sinais de que sofreu bastante."

Apesar de ser a segunda lesão no joelho esquerdo ( a anterior foi em 2000) o jogador mostra-se confiante num regresso aos relvados "a medicina evoluiu e já consegui superar uma lesão semelhante. Pretendo voltar antes do previsto pelos médicos. Se não der, vai ser uma tristeza muito grande." afirmou o jogador brasileiro.Por agora Ronaldo terá um longo período de recuperação, nunca menos de nove meses. No entanto, o avançado que já viveu uma situação idêntica espera conseguir recuperar a 100% e continuar a marcar golos por mais alguns anos. Ronaldo terá 32 anos depois da recuperação e espera cumprir pelo menos mais um sonho: jogar pelo Flamengo. Em conversa com os jornalistas confirmou essa possibilidade "Sempre desejei terminar a carreira no Flamengo. Mas antes de pensar no Flamengo tenho de superar esta adversidade. Até aqui já obtive tudo o que quis. Alcancei sucesso com sacrifício, com suor e também com lágrimas. Sinto-me realizado."

Contudo, Ronaldo ainda tem contracto com o Milan e é com a equipa italiana que vai recuperar a forma física. O seu contracto expira em Junho e a partir dessa data restam duas hipóteses, caso recupere da lesão: ou renova com o Milan ou volta ao Brasil para cumprir o seu sonho no Flamengo.

ESTA SEMANA, ESCREVO EU...

RUI COSTA: JOGADOR OU DIRECTOR?


RUI COSTA É UM DOS PILARES DA EQUIPA DA LUZ. O SEU AMOR AO EMBLEMA DA ÁGUIA É INQUESTIONÁVEL. MAS ESTARÁ NA ALTURA DE ABANDONAR OS RELVADOS E OCUPAR O CARGO DE DIRIGENTE?


PATRÍCIA MARTINS


Muito se tem falado em Rui Costa esta semana. O motivo são as boas exibições do médio na equipa encarnada, que coincidem com o momento em que se vai dando a entender que este será o seu último ano como jogador. Os adeptos pedem a continuidade, mas as palavras do jogador parecem apontar para outras direcções.

Já corre na internet uma petição para que o “maestro” da luz se mantenha em campo por mais uma época. Alegam que, apesar dos quase 36 anos, está em perfeitas condições de espalhar a magia dentro das quatro linhas e a prova disso é o actual momento. Aliás, até José António Camacho já reconheceu que tem sido o jogador o maior suporte deste plantel encarnado e que afirmou categoricamente que, de momento, é o melhor que o Benfica tem.

Já os críticos do desporto-rei dizem que o Benfica precisa de um director desportivo e Rui Costa tem o perfil indicado para o cargo. Muito se especula acerca da preparação do número 10 para iniciar novas funções já no ano que se segue. É certo que o médio tem tomado parte na preparação da próxima temporada e que a sua decisão de dar por terminada a carreira como jogador é inabalável.

A decisão cabe inteiramente a Rui Costa. Não restam dúvidas da qualidade como jogador que mantém e que a idade não é impedimento para realizar excelentes jogos. Contudo, há um tempo para tudo e o Benfica precisa de encontrar soluções para se libertar desta dependência do número 10. Os Benfiquistas devem interiorizar que o amor à camisola também pode ser transmitido em benefício do clube num outro cargo… E quem melhor para procurar substitutos à altura do que o próprio Rui Costa?

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

TAÇA UEFA: SPORTING E S.L. BENFICA NA PRÓXIMA FASE


SPORTING E S.L. BENFICA ESTÃO NOS OITAVOS-DE-FINAL DA TAÇA UEFA. SP.BRAGA NÃO SURPREENDEU E FICOU PELO CAMINHO. BOLTON E GETAFE NO CAMINHO DAS EQUIPAS DE LISBOA.




ANDRÉ MATOS LEITE
JOSÉ PEDRO PINTO
PATRÍCIA MARTINS




Sporting e S.L. Benfica são as formações portuguesas que seguem para os oitavos-de-final da Taça UEFA. As duas formações de Lisboa avançam após terem derrotado os seus respectivos adversários nos 16-avos-de-final: os «leões» derrotaram o Basileia (5-0 no total) enquanto que os «encarnados» empataram 2-2 com os alemães do Nuremberga (2-3 no total). Já o Sp. Braga acabou mesmo por cair aos pés do Werder Bremen de Hugo Almeida (4-0 no total) e sai das competições europeias.


Uma grande noite europeia para o Sporting, em Basileia, pela qual se explica o resultado dilatado (3-0 neste jogo, totalizando 5-0 no conjunto das duas mãos) e uma exibição segura e convincente. Os «leões» entraram de garras afiadas e logo aos 2’, Pereirinha fez o primeiro golo da partida decidindo, desde muito cedo, a eliminatória. O Sporting continuou a pressionar, teve dinâmica ofensiva q.b. para atormentar a vida aos defesas da formação suíça mas, do outro lado, também beneficiou de uma noite inspirada de Rui Patrício (4 paradas de grande recorte). Aos 41’, Liedson fez o segundo golo, batendo Crayton. Já na 2ª Parte, a equipa de Paulo Bento voltou a entrar a todo o gás e Liedson marcou, de novo, (52’) após um remate inicial de Pereirinha. Daí até ao fim, bastou à equipa leonina gerir o resultado e o esforço dos seus jogadores.


O Benfica empatou por 2-2 com o Nuremberga e conseguiu o apuramento para os oitavos de final da Taça UEFA. Após o resultado positivo na Luz (1-0), pareceu que os encarnados não iriam conseguir alcançar a passagem. O encontro teve uma primeira parte bem disputada em que os “encarnados” tiveram boas oportunidades para inaugurar o marcador, mas a pontaria das “águias” (especialmente de Maxi Pereira) esteve muito desafinada. Com a chegada da segunda parte começou o pesadelo do Benfica. Aos 58 e aos 66 minutos, dois golos do Nuremberga colocavam a formação alemã nos oitavos. Camacho reforçou o ataque e fez entrar Cardozo, Sepsi e, mais tarde, Dí Maria. Em cima do minuto noventa, o paraguaio, num lance fortuito, consegue colocar os “encarnados” em vantagem na eliminatória ao reduzir a derrota para 2-1 e, já em descontos, é a vez de Dí Maria marcar o 2-2 assegurando a passagem do Benfica aos oitavos de final da Taça UEFA.


Em Braga, aconteceu o previsto. Depois da derrota pesada da primeira mão (3-0) imposta pelo Werder Bremen , os minhotos não conseguiram marcar nenhum golo e ficaram afastados da Taça UEFA. Até entraram bem no jogo, mas a incapacidade de concretização, com o passar dos minutos, deixou os jogadores bracarenses impacientes e o nervosismo veio à tona. Na segunda metade, Manuel Machado ainda fez algumas alterações para tentar dar profundidade ao ataque da sua equipa mas, no entanto, não surtiu efeito. Aos 77 minutos, os alemães deram o golpe de misericórdia ao marcarem o golo que lhes valeu a vitória e fizeram a festa. Apesar do esforço demonstrado, o Sporting de Braga foi afastado das competições europeias.


Desta forma, Sporting e S.L. Benfica já sabem quais os adversários que defrontarão nos oitavos-de-final da Taça UEFA. Os «leões» têm pela frente os ingleses do Bolton, enquanto que os comandados de Camacho defrontam os espanhóis do Getafe. A 1ª Mão desta eliminatória está agendada para 6 de Março.

DUAS NOVAS RÚBRICAS NA GAZETA DO FUTEBOL



A partir desta semana, a Gazeta do Futebol apresenta-lhe duas novas rúbricas:






  • Aos Sábados, EDITORIAL. Fique a saber qual a opinião dos redactores da Gazeta do Futebol sobre os grandes temas do desporto-rei português.



  • Às segundas, de manhã, ANÁLISE DA JORNADA. Patrícia Martins faz o rescaldo do fim-de-semana após cada jornada da Liga Portuguesa.






GAZETA DO FUTEBOL









quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

MANUEL MACHADO ACREDITA QUE BRAGA PODE CONTINUAR NA UEFA


ANDRÉ MATOS LEITE


O treinador do Braga, Manuel Machado, acredita que é possível ultrapassar a desvantagem de três golos que os “minhotos” têm em relação ao Werder Bremen: “Acredito que é possível. Entramos na segunda volta com uma desvantagem substancial, mas o futebol é feito de grandes surpresas”. Os “arsenalistas” perderam, por 3-0, o jogo da primeira mão dos 16-avos-de-final da Taça UEFA, reduzindo bastante as suas possibilidades de apuramento.

Manuel Machado disse, ainda, que “não estará no cargo mais 1 minuto do que a direcção da SAD entenda”, referindo-se a algumas notícias veiculadas pela comunicação social. O técnico do Braga afirmou que a sua saída depende apenas da Direcção “arsenalista” e não dos cofres do clube pois, em caso de rescisão “o treinador não custará nem mais um tostão”.

LIGA INTERCALAR: TROFENSE CONTINUA NA FRENTE


NA TERCEIRA JORNADA DO TORNEIO DE PRIMAVERA DA LIGA INTERCALAR O TROFENSE MANTEM-SE NA LIDERANÇA. F.C. PORTO E SP. BRAGA ADIAM JOGO.


PATRÍCIA MARTINS


A equipa da Trofa venceu esta tarde o Boavista, por 1-0, e ocupa o primeiro lugar da competição. O Vitória de Guimarães também saiu vencedor do jogo com o Varzim (1-0). O penafiel foi derrotado pelo Gondomar por 3-1, enquanto que Leixões e Desportivo das Aves não foram além do empate a uma bola.

O jogo entre Sporting de Braga e F.C. Porto foi adiado, face aos compromissos europeus dos dois clubes, para data ainda a mencionar.
FONTES:

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

MAU INÍCIO COMPROMETE ELIMINATÓRIA



O PORTO PERDEU, ESTA NOITE, FRENTE AO SHALKE 04 POR 1-0. OS DRAGÕES ENTRARAM MUITO MAL NO JOGO E SOFRERAM UM GOLO LOGO AOS 3 MINUTOS. OS PORTISTAS NUNCA CONSEGUIRAM ENTRAR NO JOGO E TIVERAM MUITAS DIFICULDADES PARA CRIAR SITUAÇÕES DE PERIGO.


PEDRO ROCHA


De nada valeu ao Porto a boa memória que tinha de Gelsenkirchen. Essa boa memória foi logo apagada aos 3min, quando Kuranyi marcou na recarga a um remate de Rafinha. O Porto entrava mal, nervoso e sem conseguir ter a bola. Jesualdo colocou mesmo João Paulo, mas do lado errado(direito). Kuranyi caiu sempre do lado esquerdo, e Fucile nunca conseguiu pará-lo. Quando Jesualdo percebeu e deslocou João Paulo para a esquerda, o Porto passou a controlar os movimentos ofensivos do adversário alemão. O Shalke 04 demonstrou vontade, garra e organização. No entanto, venceu o jogo mais pelo desmérito do campeão português. Uma exibição ofensiva muito fraca sem nunca conseguir criar oportunidades de golo.

A partida começou com o golo alemão e esse início terá provavelmente marcado a exibição portista. Os dragões não entraram bem no jogo e durante a primeira parte não conseguiram criar qualquer oportunidade de golo, excepção a um lance em que R.Meireles surge na pequena área, mas muito marcado não consegue atirar para golo. O Shalke com rápidos movimentos de Asamoah e Kuranyi, servidos por Rafinha e Rakitic, conseguiam chegar rapidamente à baliza do Porto, colocando Helton sempre em sentido. Nos últimos minutos do primeiro tempo, os campeões portugueses começaram a equilibrar a partida mas sem conseguir chegar à área alemã.

No segundo tempo, o equílibrio foi a nota dominante, com ligeira ascendência portista. Contudo, as dificuldades em chegar à baliza do Shalke 04 mantiveram-se. O Porto teve mais posse de bola mas nunca conseguiu criar real perigo. A única excepção aconteceu ao minuto 79 quando um bom após um bom lance de ataque, Lisandro falhou o desvio já dentro da pequena área. Foi o canto do cisne dos portistas que não mais conseguiram outra oportunidade. Resultado justo pela segurança defensiva do Shalke. Com este resultado, os dragões precisam agora de um resultado por mais de um golo em casa. A segunda mão joga-se dia 5 de Março, no Estádio do Dragão.

Ficha do jogo:

Estádio: Arena Auf Schalke, em Gelsenkirchen

Árbitro: Larent Duhamel (França)

Schalke 04 – Neuer; Rafinha, Bordon, Krstajic e Westermann; Rakitic (Grossmuller, 75 m), Jones, Ernst e Kobiashvili; Asamoah (Altintop, 80 m) e Kuranyi (Sanchez, 88 m).

Suplentes não utilizados: Schober, Howedes, Varela e Lovenkrands.

FC Porto – Helton; João Paulo, Pedro Emanuel, Bruno Alves e Fucile (Mariano Gonzalez, 85 m); Lucho, Paulo Assunção e Raul Meireles; Lisandro, Farias (Tarik Sektioui, 56 m) e Quaresma.

Suplentes: Nuno, Marek Cech, Stepanov, Kazmierczak e Hélder Barbosa.

Disciplina: cartão amarelo a Jones (45 m), Ernst (66 m) e Grossmuller (84 m).

Marcador: 1-0 por Kuranyi (4 m).

CONFUSÃO NA MADEIRA: JOKANOVIC E CAJUDA TROCAM ACUSAÇÕES




OS DOIS PROTAGONISTAS DE TODA A CONFUSÃO DO PASSADO DOMINGO JÁ SE PRONUNCIARAM. JOKANOVIC DIZ QUE RESPONDEU A AMEAÇAS E INSULTOS; CAJUDA TEMEU SER AGREDIDO E AFIRMA QUE NUNCA AMEAÇOU NINGUÉM.



JOSÉ PEDRO PINTO



Os incidentes que marcaram o final do Nacional-Vit. Guimarães, do passado domingo, ainda não estão sanados. Na tarde de ontem, os dois protagonistas de toda a confusão que se gerou logo após o jogo da Choupana vieram a público defender as suas posições. Jokanovic, técnico da formação madeirense, diz que reagiu, a quente, a ameaças e insultos na partida da 1ª Volta, em Guimarães, enquanto que Manuel Cajuda, treinador vimaranense, refuta as mesmas acusações, afirmando que nunca ameaçou ninguém e que teve receio de ser agredido pelo sérvio, na Madeira.


Mal soou o apito final do juiz Paulo Baptista, Jokanovic dirigiu-se, a correr, até Manuel Cajuda, algo descontrolado, pedindo satisfações ao treinador do Vit. Guimarães. Valeu a pronta intervenção de atletas de ambas as formações para acalmar os ânimos e evitar que se pudessem ter produzido agressões.


Para Jokanovic, em declarações à Antena 1 no dia de ontem, a sua atitude deveu-se a situações passadas no jogo da 1ª Volta, em Guimarães, onde revela que foi ameaçado por Cajuda. "Ao intervalo, Manuel Cajuda disse que, no final, me partia a cara. Aquele túnel é muito comprido. Passa-se muita coisa. Eu sou uma pessoa que falo as coisas directamente na cara. Sei o que sofri duas vezes em Guimarães naquele túnel de 100 metros", afirmou o técnico sérvio, revelando-se ainda arrependido por toda a situação gerada, pois "como treinador e líder de um grupo, não posso fazer o que fiz". Jokanovic sente-se preparado para um eventual castigo: ""Temos de pagar pelos erros que cometemos".


Já Manuel Cajuda, treinador do Vit. Guimarães, respondeu ao técnico do Nacional da Madeira, afirmando que nunca ameaçou ninguém em toda a sua carreira e que irá proceder judicialmente contra Predrag Jokanovic devido a essas mesmas acusações, referindo ainda que foi insultado pelo treinador nacionalista na partida da 1ª Volta. Quanto à situação em si, Cajuda revela que teve medo de ser agredido. "Apercebi-me da aproximação de um membro da equipa técnica do Nacional e de que as coisas não iam ter um bom fim. Como é visível não recuei, não demonstrei medo, mas também não provoquei nem fiz qualquer comentário porque acredito que ainda vivo num país com mínimo de justiça e aguardo pelas suas decisões".




FONTES



segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

SONDAGEM GAZETA DO FUTEBOL: SORRIRÁ A UEFA SOMENTE AO SPORTING?



O Sporting é a equipa com mais probabilidades para passar aos oitavos-de-final da Taça UEFA. É esta, pelo visto, a opinião dos adeptos do desporto-rei que participaram na última Sondagem Gazeta do Futebol. Em resposta à questão «QUAL DAS EQUIPAS PORTUGUESAS TEM MAIS PROBABILIDADES DE PASSAR À PRÓXIMA ELIMINATÓRIA DA TAÇA UEFA?», os leitores da Gazeta elegeram o Sporting como o principal favorito a passar a eliminatória, recolhendo 50% dos votos. Já as outras opções ficaram com 25% das escolhas: S.L. Benfica e Sp. Braga.


Recorde-se que a 1ª Mão dos 16-avos-de-final da Taça UEFA realizou-se a semana passada, com os «leões» a vencerem, em Alvalade, o Basileia por 2-0; com o S.L. Benfica a derrotar o Nuremberga por 1-0, no Estádio da Luz; e com o Sp. Braga a sofrer uma derrota pesada, na Alemanha, frente ao Werder Bremen.


A 2ª Mão desta eliminatória da Taça UEFA realiza-se já esta semana. As partidas estão agendadas para quinta-feira, dia 21 de Fevereiro.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

ÁGUIAS E LEÕES VITORIOSOS NESTA JORNADA



BENFICA VENCE NAVAL POR 2-0 E ASSEGURA O SEGUNDO LUGAR. SPORTING OBTÉM O MESMO RESULTADO DO RIVAL, DESTA FEITA CONTRA O ESTRELA DA AMADORA, E CONSEGUE CHEGAR AO TERCEIRO POSTO, ULTRAPASSANDO O GUIMARÃES QUE SAIU DERROTADO DA VISITA À MADEIRA.


PATRÍCIA MARTINS


A noite não se afigurou brilhante para os dois clubes da segunda circular. No entanto, a eficácia foi palavra-chave e os três pontos fizeram as delícias nas contas dos rivais lisboetas.

Naval 0-2 Benfica

No jogo que opôs o Benfica ao Naval 1º de Maio, destaca-se a estreia de Sepsi que esteve presente no segundo golo dos encarnados. Rui Costa é outra figura de destaque: o maestro entrou apenas aos 85 minutos mas, mesmo assim, conseguiu abrilhantar o relvado e criar lances de perigo.

O Naval entrou melhor no jogo e conseguiu deixar os defesas benfiquistas baralhados, criando algumas oportunidades de golo. O Benfica praticou um futebol directo e aos 19 minutos chegou ao golo: Binya lançou da linha lateral, Cardozo desviou de cabeça e Rodriguez, também de cabeça, abriu o activo. O resto da primeira parte foi controlada pela equipa da casa, enquanto que o Benfica pouco ou nada conseguiu fazer.

Na segunda metade a Naval continuou com a maioria da posse de bola e os encarnados só conseguiram obrigar Wilson a atenção extrema através de Makukula, mas o guardião da Naval agarrou o cruzamento (74') e o cabeceamento (84') do internacional português. Já perto do final Camacho fez entrar Rui Costa e Sepsi estreou-se. Substituições felizes, já que aos 3 minutos de compensação o maestro serve Sepsi, que cruza para Nuno Assis fixar o resultado em 2-0. Vitória do Benfica que teve mais de feliz do que de merecida.

Sporting 2-0 E. Amadora



A equipa de Alvalade não fez uma grande exibição na recepção ao Estrela da Amadora, ainda assim, conseguiu dominar e podia mesmo ter alargado a vantagem, quando os visitantes se viram reduzidos a nove jogadores.

Inicialmente o Estrela parecia convicto em aguentar a pressão leonina, que logo aos 11 minuto levou perigo à baliza adversária com um cruzamente de Tonel. Contudo, ao minuto 17 João Moutinho chega ao primeiro golo com um excelente remate em arco. A partir dái as dificuldades foram crescendo para a equipa visitante que viu, quase no final dos 45 minutos ,Hélder Cabral ser expulso.

A segunda parte chegava e com ela a expulsão de Nélson com um vermelho directo e a consequente grande penalidade para Polga marcar. Mas este falhou, rematando ao lado. Os tricolores foram obrigados a recuar perante a superioridade numérica do adversário e isso facilitou a vida aos leões. Aos 77 minutos chegou o 2-0. Liedson aproveitou uma falha de Pedro Alves, que até aí vinha segurando a equipa da Amadora, para facturar. Exibição tranquila do Sporting que, com a derrota desta tarde do Vitória de Guimarães, consegue regressar ao terceiro lugar da BwinLiga.



FONTES:


CRÓNICA GAZETA DO FUTEBOL

LEIXÕES 2-2 BOAVISTA




DEFESA DE BETÃO TRAVA FORÇA DO MAR




ANDRÉ MATOS LEITE



O Leixões empatou em casa com o Boavista, a duas bolas, num jogo que só na segunda parte teve emoção… mas a emoção durou até ao fim. Dois golos de Jorge Gonçalves deram esperança ao conjunto de Matosinhos, mas as bolas paradas da «pantera» destruíram a vitória leixonense.



Com ambas as equipas a actuar em 4-3-3, durante a primeira parte parecia que nenhuma das formações conseguiria o golo: o Boavista, muito defensivo, travava todas as investidas da equipa do Mar e fazia-a tremer no contra-ataque, mas o trio ofensivo não finalizava da melhor maneira. Mateus chegou a apresentar-se no terreno mais como médio-ala do que como extremo. Aliás, os quatro amarelos com que os «axadrezados» terminaram os primeiros 45 minutos ilustravam bem o ênfase defensivo da «pantera». O ataque do Leixões chegou a parecer que ia dar frutos, mas, Jorge Gonçalves, o elemento mais esclarecido de Matosinhos, só conseguiu atingir o poste da baliza de Peter Jehle com meia hora decorrida.


A segunda parte prometia mais emoção logo a abrir com um livre perigoso para o Leixões seguido de uma simulação de Obi, avançado “axadrezado”, bem avaliada por Pedro Proença. Aos 55 minutos, o Boavista faz a primeira substituição e, nesse mesmo minuto, Obi aproveita um livre da esquerda e um erro defensivo matosinhense para marcar o primeiro golo do encontro. Carlos Brito fez entrar Paulo Machado e Cervantes para tentar dar a volta à partida, mas a defesa da «pantera» continuava intransponível. O técnico leixonense arriscou, tirou o defesa Ezequias para fazer entrar o avançado João Moreira e, passados 3 minutos, foi premiado. Aos 73, um contra-ataque em que Roberto e Paulo Machado combinam bem culmina no golo do empate, apontado por Jorge Gonçalves. Com a igualdade restabelecida, o “Mar” recuperou a sua força e, aos 80 minutos, Cervantes assiste Jorge Gonçalves que bisa colocando Matosinhos em alvoroço. 2-1 para o Leixões e a certeza de 3 pontos garantidos. A turma de Carlos Brito, empolgada pela vantagem, carregou no acelerador tentando atingir o terceiro. No entanto, seria o Boavista a tornar a marcar. A «pantera» acordou com a partida perto do seu final. Hussaine levou a bola pela esquerda e centrou para o segundo poste onde a defesa do conjunto de Matosinhos permitiu a Marcelão aparecer isolado. O defesa não perdoou e bateu Beto, fazendo o 2-2 final.


A arbitragem de Pedro Proença e seus pares foi de boa qualidade, avaliando bem as maioria das situações de jogo e impondo uma disciplina justa e que permitiu controlar eventuais situações de ânimos mais exaltados por parte dos jogadores.



O QUE DISSERAM OS TREINADORES


LEIXÕES 2-2 BOAVISTA


CARLOS BRITO





“LEIXÕES MERECIA TER VENCIDO”

Carlos Brito não ficou satisfeito com o resultado. O treinador do Leixões considerou o desfecho final como “injusto” e realçou a forma como a sua equipa sofreu os dois golos por parte do Boavista: “Sinceramente, analisando toda a partida, merecíamos ter ganho. Sofremos dois golos de lances fortuitos, de bola parada, com dois ressaltos, e acabámos por deixar fugir dois pontos sobretudo depois de termos dado a volta ao resultado. Foi com pena que deixámos escapar a vitória.” Ainda assim, Brito confessou-se agradado com a exibição geral da equipa. “Só tenho a dizer bem dos meus jogadores porque correram e lutaram. Mas, não conseguimos os nossos objectivos e estamos tristes, obviamente”. Na altura da substituição de Ezequias, muitos foram os adeptos que criticaram a alteração, mas Carlos Brito encara essas manifestações com normalidade, porque “quando as coisas não correm bem, os adeptos ficam descontentes, mas isso não quer dizer que venha pôr em causa todo o meu trabalho”. Já sobre o futuro do Leixões e quando confrontado com uma possível aproximação da sua equipa dos lugares de descida, Carlos Brito preferiu desdramatizar, afirmando que o plantel não está nervoso com a situação: “Nós temos que olhar para nós e não para os outros. A equipa está triste mas não está nervosa e, se olharmos para o nosso campeonato, só temos pecado pelos jogos fora. Se estamos atentos aos outros adversários? É natural que estejamos com um ouvido nos outros campos, durante os jogos, mas, volto a dizê-lo, temos que nos preocupar primeiramente connosco.” JPP



JAIME PACHECO




“RESULTADO PARECE-ME JUSTO”


O técnico dos «axadrezados» foi directo na análise à partida e ao resultado final. Jaime Pacheco considerou o resultado justo pelo que as duas equipas mostraram dentro das quatro linhas: “Pela entrega de todos os jogadores de ambas as equipas e com a emoção do jogo, penso que se acaba por fazer jus ao empate. É certo que gostamos sempre de ganhar e não posso estar satisfeito com o empate, mas o resultado parece-me justo.” No que toca à exibição da sua equipa, Pacheco afirmou ter gostado mais da 1ª Parte do que da 2ª Metade, etapa onde a sua equipa acabou por sofrer dois golos e marcar outros dois. “Fizemos uma 1ª Parte aceitável. Embora não tivéssemos conseguido acompanhar devidamente as movimentações do adversário, tivemos consistência defensiva. Na 2ª Parte, até entrámos bem, mas acabámos por recuar em demasia. Reivindiquei para que a equipa subisse mais no terreno, mas, ou não me ouviram ou então não estavam com muita confiança”, disse o treinador do Boavista. Questionado sobre a quebra defensiva da sua formação na 2ª Parte, Pacheco foi peremptório ao afirmar que faltou organização: “É fundamental haver organização e nós não fomos organizados. O segundo golo do Leixões mostra isso mesmo! Não nos posicionámos bem, mas é uma questão com a qual eu me preocupo. Temos que ser mais consistentes e mais fortes anímicamente.” JPP






sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

PORTO EFICIENTE NA MADEIRA



O PORTO DERROTOU, ESTA SEXTA-FEIRA, O MARÍTIMO POR 3-0. NUM JOGO BEM DISPUTADO OS DRAGÕES ENTRARAM EM CONTENÇÃO E NA HORA CERTA DECIDIRAM UMA PARTIDA DIFíCIL.


PEDRO ROCHA

Jesualdo avisou que este seria um dos jogos mais dificeis da época. Os jogadores perceberam a mensagem e encararam esta partida de forma séria e atenta. No entanto, os homens de Lazaroni complicaram ao máximo a tarefa dos azuis e brancos. A equipa madeirense, apoiada pelo seu público, dominou grande parte do primeiro tempo criando as melhores situações de golo e tendo maior posse de bola. O Porto parecia não conseguia sair do seu meio-campo com a boa pressão maritimista. Os campeões nacionais acordaram a partir da meia-hora, e Fucile teve um belo remate na direita para defesa de Marcos aos 36m. À beira do intervalo, belo trabalho de Lisandro a rematar rasteiro e a bater Marcos. Uma oportunidade, um golo para Lisandro.

No segundo tempo, os madeirenses voltaram a entrar melhor e mais fortes e tiveram uma boa oportunidade aos 50 m., com João Luís a atirar ao lado. Depois o Porto voltou à carga, com Lisandro e Lucho a poderem ampliar a vantagem. Aos 50m., Djalma é expulso e a partir daí tudo mais simples para os dragões. Tarik entra em campo e poucos minutos depois faz o segundo para o Porto, num lance em que há uma grande penalidade sobre Lisandro não assinalada. Com o 2-0, o Porto não descansou e aos 82m. Lisandro fecha a contagem depois de um bom lance de Quaresma e Lucho.

Vitória importante para os campeões nacionais antes da deslocação a Alemanha, na terça-feira para defrontar o Shalke 04. Com esta vitória os portistas aumentam para 13 a diferença para o Benfica que, no entanto, tem menos um jogo.


Estádio dos Barreiros, no Funchal

Árbitro: Pedro Henriques (AF Lisboa)

MARÍTIMO – Marcos; Ricardo Esteves, Ediglê, Van der Linden e Evaldo; Bruno e João Luiz; Mossoró (Gonçalo, 74 m), Marcinho e Djalma; André Pinto (Kanu, 63 m).

FC PORTO – Helton; Fucile (João Paulo, 70 m), Pedro Emanuel, Bruno Alves e Marek Cech; Lucho Gonzalez, Paulo Assunção e Raul Meireles (Kazmierczak, 72 m); Farias (Tarik Sektioui, 65 m), Lisandro Lopez e Ricardo Quaresma.

Ao intervalo: 0-1Golos: 0-1, Lisandro Lopez (45 m); 0-2, Tarik Sektioui (68 m); 0-3, Lisandro Lopez (82 m).

Resultado final: 0-3

Cartão amarelo a Djalma, Lucho Gonzalez, Raul Meireles, André Pinto, Kazmierczak e Pedro Emanuel. Cartão vermelho (segundo amarelo) a Djalma (60 m).

FUTECONOMÊS



Basicamente, (o Team Building) é um processo de motivação que retira os colaboradores de uma organização para fora do seu local de trabalho para criar num grupo de pessoas o “espírito de equipa”, capaz de reforçar o sentimento de pertença ao grupo e melhorar a forma como as pessoas interagem e trabalham em conjunto.



NUNO MOUTINHO
Professor da Faculdade de Economia do Porto (FEP)



O marketing ainda não cumpriu as etapas e as condições que podem fazer deste corpo de pensamento uma ciência. No entanto, tem sido notável a quantidade quase inesgotável de ferramentas analíticas que o marketing tem fornecido às ciências empresariais desde o início dos anos oitenta. Uma dessas ferramentas é conhecida por “marketing interno”, assente na ideia de que uma organização só consegue oferecer um elevado nível de qualidade de serviço, se for capaz de tornar os empregos mais atractivos para os seus colaboradores, de modo que eles possam fazer o mesmo em relação ao seu público alvo.


Neste contexto, tem emergido um conceito inovador, o do Team Building. Basicamente, é um processo de motivação que retira os colaboradores de uma organização para fora do seu local de trabalho para criar num grupo de pessoas o “espírito de equipa”, capaz de reforçar o sentimento de pertença ao grupo e melhorar a forma como as pessoas interagem e trabalham em conjunto. Para se construir um processo articulado e integrado de processos de trabalho, é necessário o aprofundamento dos elos sociais e do conhecimento das virtudes e defeitos de cada indivíduo que pertence à equipa. Este objectivo de motivar os colaboradores, para que a sua produtividade e atitude no trabalho aumente, é mais facilmente alcançado numa actividade lúdica fora da organização, num ambiente informal e descontraído. Inúmeras empresas e organizações têm apostado neste tipo de iniciativas, contratando empresas para o fazer ou organizando internamente eventos para os seus funcionários.





A Universidade do Porto não foge a esta realidade. Neste momento, o Gabinete de Actividades Desportivas da Universidade do Porto está a organizar o III Campeonato de Futsal de Funcionários da Universidade do Porto (http://3campeonatofutsaluporto.blogspot.com/). Sete departamentos ou cursos organizaram-se e estão agora a disputar o almejado troféu que tem sido ganho por funcionários da Faculdade de Letras.


Tudo o que escrevi sobre Team Building faz ainda mais sentido quando falamos do curso de Cências da Comunicação da Universidade do Porto, formado através de protocolo assinado pelas Faculdades de Letras, Engenharia, Belas-Artes e Economia. Temos docentes pertencentes a diversas instituições, cientistas das mais variadas áreas, que têm que saber trabalhar em equipa, apesar da sua heterogeneidade, para conseguir alcançar o difícil objectivo de formar profissionais para saídas tão diversas como o Jornalismo, a Assessoria de Comunicação e a Comunicação Multimédia. Desta forma, resolvemos participar neste torneio, com o desiderato de nos conhecermos melhor e promover o nosso curso junto da Universidade. Foi criado um logotipo, um nome agregador para a equipa (“.COM”), um equipamento oficial, enfim, uma identidade.


Nomes como Helena Lima, Pedro Costa, Rui Novais, André Almeida, Bruno Giesteira, Mário Machado, Milan Rados, Nuno Moutinho e Pedro Rios vão dar o seu melhor no torneio e, sobretudo, vão interagir fora das paredes das instalações sitas em Coronel Pacheco. Para já, a nossa equipa cilindrou Ciências, num jogo em que marcámos 11 (!) golos contra apenas 3 sofridos. Mas o mais importante foi o convívio e a alegria de todos em torno deste “projecto”. A ver vamos se os defensores do Team Building têm razão e se o futebol se transforma numa ferramenta analítica de marketing interno. “E esta, hein?”.